Reprodução
Reprodução

Ator cubano desaparecido é um dos premiados em Festival de Tribeca

Co-premiado como melhor ator, Javier Núñez Florián protagoniza filme sobre deserção para os EUA

Reuters

27 de abril de 2012 | 18h41

O filme War Witch, um drama sentimental sobre uma menina de 12 anos sequestrada por rebeldes armados na África sub-saariana, e uma película de não-ficção que examina as agruras das mulheres na Índia moderna, conquistaram os principais prêmios do Festival de Cinema de Tribeca na quinta-feira.

War Witch levou o prêmio do júri por melhor filme e melhor atriz para Rachel Mwanza, que faz o papel da garota forçada a se tornar um soldado, e The World Before Her, que traça um paralelo entre participantes do concurso Miss Índia e um campo de meninas hindus fundamentalistas venceu como melhor documentário.

Mas em um estranho exemplo de vida imitando a arte, um ator cubano, que estreia um filme sobre deserção para os Estados Unidos e foi co-premiado como melhor ator, está desaparecido. Ele sumiu a caminho do festival.

Javier Núñez Florián, visto pela última vez no aeroporto de Miami com a colega de elenco Anailin de la Rúa de la Torre, também desaparecida, não compareceu para dividir o prêmio de 2.500 dólares.

Ele compartilharia a premiação com Dariel Arrechada, que também atuou no filme e apareceu ao final da cerimônia, tendo sido o único ator presente na estreia do filme uma semana atrás. Representantes do filme disseram esta semana que ninguém envolvido com a produção teve qualquer contato com os cubanos desaparecidos.

Una Noche (Uma noite), que acompanha a trajetória de três adolescentes cubanos tentando escapar da pobreza de sua terra natal para começar uma nova vida em Miami, também ficou com o prêmio de melhor cinematografia e melhor diretor estreante para Lucy Mulloy, formada em cinema na New York University.

O filme argentino All In, uma comédia romântica escrita e dirigida por Daniel Burman sobre um jogador de pôquer profissional, ganhou como melhor roteiro de longa-metragem, e o troféu de melhor edição foi para o incomum The Flat, documentário israelense sobre o Holocausto.

O prêmio de melhor diretor estreante de documentário foi para o cineasta holandês Jeroen van Velzen por Wavumba, filme rodada no Quênia que explora as tradições dos pescadores, enquanto The Revisionaries, que enfoca a politização de livros escolares no Texas, conquistou uma menção especial do júri de Tribeca.

A maioria dos filmes vencedores refletiu a ênfase do festival em obras feitos no exterior. Mais da metade deles na categoria de longa de ficção foram produções internacionais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.