Alec Tabak/The Daily News via AP
Alec Tabak/The Daily News via AP

Ator Cuba Gooding Jr. é acusado de estuprar mulher em 2013

Vítima afirma que ele a atacou em um hotel depois de conhecê-la num bar de Manhattan

Redação, AFP

19 de agosto de 2020 | 07h29

Cuba Gooding Jr. foi acusado nesta terça-feira, 18, por uma mulher de estuprá-la duas vezes em 2013, uma nova denúncia de agressão sexual para o ator americano que aguarda julgamento por abusar de outras três mulheres.

A mulher, que permanece anônima na ação civil movida na corte federal do distrito sul de Nova York, afirma que Gooding, 52, a atacou em um hotel depois de conhecê-la em um bar de Manhattan, informou a mídia local. 

"Nossa cliente está fazendo acusações muito graves contra Cuba Gooding Jr. na ação que movemos. Ela espera que a justiça seja feita no tribunal", disse à AFP a advogada da suposta vítima, Gloria Allred. 

No bar, o vencedor do Oscar de melhor ator coadjuvante em 1997 por Jerry Maguire pediu à mulher que o acompanhasse a um hotel onde se encontrariam com amigos, de acordo com o processo. 

Gooding lhe pediu depois que ela o acompanhasse até seu quarto para que trocasse de roupa. Ali, após colocar uma música para tocar, estuprou a mulher duas vezes, acrescenta o documento. 

A suposta vítima busca compensação financeira por um valor não especificado. 

"As acusações são falsas e difamatórias", disse o advogado de Gooding, Mark Jay Heller, à AFP. "Acreditamos que o caso será arquivado", acrescentou. 

O ator de 52 anos foi acusado no ano passado de três casos de toque impróprio em mulheres, pelos quais deve ser julgado. A acusação descreve abusos contra mais de 20 mulheres, mas ele nunca foi acusado de estupro antes. 

Gooding foi acusado de apalpar uma mulher em um restaurante de Nova York em setembro de 2018, beliscar as nádegas de uma segunda mulher um mês depois em uma boate e tocar os seios de uma terceira mulher em um bar em junho de 2019. 

Como resultado desses três casos, o ator foi acusado de seis acusações de agressão sexual, das quais se declarou inocente. Ainda não há data para seu julgamento. Ele pode pegar no máximo um ano de prisão.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.