Astros se preparam para holofotes do tapete vermelho

Está aberta a temporada de vestidos estonteantes, corpos cuidadosamente esculpidos e pele impecável: as seis semanas que separam a entrega do Globo de Ouro até a esperada cerimônia do Oscar, marcada para este domingo, são o tempo necessário para que um exército de figurinistas, esteticistas, cabeleireiros e personal stylist prepare atrizes, diretoras e profissionais de diversas áreas do cinema para que, durante sua passagem pelo tapete vermelho, tenham alguns segundos de glória. Mesmo que, depois da cerimônia, apenas uma privilegiada minoria leve para casa a desejada estatueta careca. ?Seis semanas é o tempo necessário para se transformar em uma deusa?, garante Jimmy Coco, especialista em bronzeamento artificial, que contabiliza mais de 50 mulheres passando por sua varinha de condão antes de se exibir na entrada do Kodak Theatre. Assim como a indústria do silicone, que torna sexy qualquer busto ou bumbum esquecido por Deus, ou as sofisticadas marcas de cremes para a pele, responsáveis pelo milagre de maquiar a celulite e recuperar qualquer cútis cansada de guerra, o bronzeamento de Coco é considerado um poderoso aliado na luta pela beleza eterna, especialmente pelo fato de o passeio pelo tapete vermelho acontecer durante o dia - começa às 15 horas, pelos ponteiros de Los Angeles. ?Se a mulher freqüentar uma academia e ostentar um corpo bem torneado, o bronzeamento valoriza os músculos?, jura Coco, que já trabalhou com atrizes como Lara Flynn Boyle e Jennifer Garner. ?Mas, mesmo que ela não freqüente, consigo um efeito semelhante.? As semanas que antecipam a entrega do Oscar são a glória de profissionais como Coco, transformados em especialistas de imagem de estrelas de Hollywood. Eles são convocados tanto para burilar o uso de botox como tornar qualquer cabelo mais denso. É como trabalhar sobre um projeto científico - um dos produtos mais procurados, por exemplo, é o Flex Body Bra, sutiã especialmente feito com adesivo de silicone que, garante o produtor, fixa separadamente cada seio. ?Ninguém admite exibir uma falha sequer?, comenta Coco. ?Naqueles minutos em que boa parte da população do planeta vai estar de olho grudado na tela, analisando sua roupa, maquiagem, pele e cabelo, a mulher tem de parecer o melhor possível.? Enquanto a competição não começa, os jurados, ou melhor, os fãs do Oscar aproveitam para um último passeio pela entrada do Kodak, que será fechada no sábado, e também fazem fila para um programa que já se tornou tradicional: todos os anos, a Academia de Artes e Ciências de Hollywood monta uma sala próxima do teatro onde são exibidas as 50 estatuetas que serão entregues no domingo. Protegidos por vidros a prova de bala, os prêmios parecem mais brilhantes ao vivo que pela tevê. E, para matar a vontade, uma réplica está disponível para o público, que pode se fotografar levantando a estatueta, simulando uma vitória. O passeio faz sucesso, a julgar pela fila interminável na porta da sala. Também sábado acontecem dois simpósios, uma tentativa da Academia de transformar a entrega do Oscar em fomentador de debates. Pela manhã, os diretores cujos filmes concorrem à melhor produção estrangeira encontram-se no Samuel Goldwyn Theatre. Na pauta, o multiculturalismo. E, à tarde, no Linwood Dunn Theater, é a vez dos candidatos à melhor maquiagem, categoria cuja especialização tem impressionado a cada ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.