Astro japonês Ken Watanabe atua filme de Clint Eastwood

O ator japonês Ken Watanabe espera que o novo filme de Clint Eastwood sobre a 2.ª Guerra Mundial, no qual ele interpreta o personagem principal, possa ajudar jovens japoneses a conhecer a história bélica de seu país. "Enquanto fazíamos esse filme percebemos que até agora não olhamos de verdade para o passado do Japão. Mas temos que olhá-lo e aceitar o fato de que foi isso o que os nossos pais e avós realmente fizeram", disse Watanabe."Aceitar a realidade é o primeiro passo", acrescentou o ator durante uma coletiva de imprensa no Clube de Correspondentes Internacionais do Japão. O filme Red Sun, Black Sand deve ser lançado em dezembro. Watanabe interpreta um general que perde a batalha causando a morte de muitos jovens soldados japoneses que seguiram suas ordens. O ator definiu o filme como um retrato de seres humanos através das lentes da guerra. Como pessoas comuns pensavam funcionavam e viviam.Ator de "O Último Samurai" e "Memórias de uma Gueixa"Este é o quarto filme de Hollywood para Watanabe, que ganhou fama em sua terra natal depois de seus papéis em Batman Begins, O Último Samurai e Memórias de uma Gueixa.Para se preparar para o filme que se passa na ilha de Iwo Jima ele leu muitos livros, mas disse que achou impossível entender porquê o desastre não foi impedido. "O tempo parece ter simplesmente passado antes que alguém pudesse chegar a uma conclusão sobre o que estava acontecendo", afirmou. "Temo que a falta de um entendimento completo da situação seja uma tendência que muitos japoneses ainda carregam e fico deprimido com esse pensamento". Contudo, ele disse que quis fazer parte do filme para "refletir sobre a luta do general Chudo Kuribayashi, que adorava os Estados Unidos e queria evitar o conflito com o país, mas acabou lutando contra os americanos até o fim". A ilha de Iwo Jima, cerca de 1,200 quilômetros de Tóquio, tornou-se um símbolo da guerra no Pacífico para muitos americanos, principalmente por causa da famosa fotografia de tropas erguendo a bandeira dos Estados Unidos no topo do monte Suribachi.Depois de 60 anos da rendição japonesa na 2.ª Guerra, Iwo Jima continua inabitada, com exceção de algumas bases militares. Qualquer atividade na ilha é potencialmente controversa, pois muitos a consideram um terreno sagrado. Quase 7 mil solados americanos e mais de 20 mil japoneses morreram na ilha em batalhas entre fevereiro e março de 1945.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.