Assassino de Theo Van Gogh pega prisão perpétua

O assassino confesso do cineasta holandês Theo Van Gogh, Mohammed Bouyeri, foi condenado nesta terça-feira à prisão perpétua. Para o Tribunal Penal de Amsterdã, o crime teve "intenção terrorista" e seguiu uma "interpretação radical do Islã". O juiz Udo Willem Bentinck argumentou que deveria ser aplicada a pena máxima com o intuito de "proteger a sociedade" da repetição do mesmo crime.Theo Van Gogh foi assassinado com sete tiros em 2 de novembro doa ano passado enquanto ia de bicicleta para o trabalho. Bouyeri ainda cortou seu pescoço com uma faca que posteriormente foi utilizada para cravar uma carta em seu peito. A carta continha uma ameaça de morte à deputada liberal de origem somaliana Ayaan Hirsi Ali, que havia co-dirigido com Van Gogh um curta-metragem no qual se denunciava a situação de opressão da mulher no Islã.A sentença ressalta que o assassinato de Van Gogh e as ameaças a Hirsi Ali atemorizaram e comoveram a sociedade holandesa, que mostrou um enorme interesse pelo caso, o que levou hoje a televisão pública a transmitir ao vivo a leitura da sentença. O crime, explicou o juiz, "desestabilizou" a sociedade, que, após o assassinato, viveu uma onda de violência e ataques contra escolas islâmicas, mesquitas e alvos religiosos cristãos.O juiz enfatizou que na última audiência do julgamento, há duas semanas, Bouyeri reafirmou seu crime e declarou que "voltaria há fazer o mesmo" se estivesse em liberdade. Por isso, os juízes consideraram aplicável a pena de prisão perpétua dada a "ausência de arrependimento" e o conseguinte risco de reincidência do acusado na comissão do crime.A sentença determinou que não foi possível provar que Bouyeri cometeu o assassinato em colaboração com outras pessoas, apesar de a investigação ter constatado que supostos membros da célula de terrorismo islâmico ativa na Holanda tinham se reunido em sua casa para analisar textos e vídeos de conteúdos radicais.

Agencia Estado,

26 de julho de 2005 | 08h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.