Assassino de Marie Trintignant pega 8 anos de prisão

O astro do rock francês Bertrand Cantat, de 40 anos, foi condenado a oito anos de prisão pela trágica morte da atriz Marie Trintignant, de 41, em agosto do ano passado. Cantat foi julgado em Vilna, na Lituânia, onde o crime ocorreu. A atriz, filha de Nadine e Jean-Louis Trintignant, estava neste país do Leste Europeu rodando o telefilme Colette, sob direção da mãe. No hotel, durante um acesso de fúria, foi repetidamente agredida pelo cantor, entrou em coma e não resistiu aos ferimentos."A culpa do acusado é inquestionável", disse o juiz Vilmantas Gaidelis, em comunicado traduzido simultaneamente para o francês. Gaidelis presidiu a banca de três juízes responsáveis pelo julgamento do caso. O advogado de Cantat disse que vai recorrer, por entender que a pena é "absolumante excessiva". A pena máxima aplicada ao caso é de 15 anos.Ao contrário de audiências anteriores, Cantat, que está detido há oito meses, apareceu barbeado, calmo e não demonstrou reação à sentença. Ao longo do processo, Cantat admitiu à Corte ter agredido Marie, mas insistiu que sua morte foi um "acidente trágico". "Nunca quis que as coisas acontecessem deste jeito. Nunca deveria ter levantado esta mão. E não aceito que a levante outra vez", disse, mostrando arrependimento. Afirmou ter batido em Marie quatro vezes, atribuindo a violência à embriaguez. Mas para os promotores do caso, ele a agrediu ao menos 19 vezes.A família do cantor presenciou seu julgamento, assim como os parentes e amigos da atriz, incluindo a mãe Nadine. Não quiseram comentar a sentença.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.