As chances latino-americanas no Oscar 2003

Ano a ano, a América Latina ganha mais espaço no principal centro de cinema do mundo, Hollywood. Na terça-feira, a Academia de Artes e Ciências do Cinema vai revelar os indicados para o Oscar 2003. Na categoria de melhor filme estrangeiro, há pelo menos quatro produções latino-americanas com chances de lutar pela cobiçada estatueta. Do Brasil, claro, a torcida é para que Cidade de Deus consiga uma indicação, já que o filme de Fernando Meirelles recebeu ótimas críticas nos Estados Unidos, concorreu, e perdeu, no Globo de Ouro, e tem feito uma bem-sucedida carreira internacional. A Miramax e o próprio Meirelles procuram suavizar as expectativas dos brasileiros sobre uma suposta indicação, mas há chances reais da história da favela carioca Cidade de Deus chegar lá. A vizinha Argentina, que vive um excelente momento nas telas, tem chances de novamente (no ano passado O Filho da Noiva foi indicado) concorrer. O candidato é Kamchatka, estrelado por Ricardo Darín (O Filho da Noiva e Nove Rainhas), o maior destaque do cinema portenho. O filme conta a história de um casal perseguido durante a ditadura militar. A Argentina já levou um Oscar em 1986, com A História Oficial.Outra nação latino-americana com chances de emplacar seu representante no prêmio é o México. Embora O Crime do Padre Amaro, adaptação bastante livre do romance homônimo do português Eça de Queiroz, esteja indo mal no Brasil, parece que os norte-americanos gostaram da polêmica envolvendo um padre da Igreja católica. Esse conteúdo explosivo pode render uma indicação para o filme de Carlos Carrera, que também concorreu ao Globo de Ouro. Entre as surpresas do continente, está El Último Tren, uma produção uruguaia, espanhola e argentina, conta a história de três veteranos membros da Associação de Amigos del Riel e de um menino que, juntos, decidem seqüestrar uma velha locomotiva do século 19 para evitar que ela seja vendida a um estúdio de Hollywood.

Agencia Estado,

09 de fevereiro de 2003 | 18h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.