Artistas de Hollywood pedem que governo do Irã solte diretor preso

Jafar Panahi, simpatizante do líder oposicionista Mirhossein Mousavi, está detido desde março

30 de abril de 2010 | 18h15

Reuters

 

LOS ANGELES- Um grupo de artistas e diretores da indústria cinematográfica, incluindo nomes como Steven Spielberg, Martin Scorcese e Francis Ford Coppola, pediram nesta sexta-feira, 30, que o governo iraniano liberte o diretor Jafar Panahi.

 

Em uma petição assinada por diretores e atores como Robert De Niro e Robert Redford, o grupo denunciou a prisão de Panahi, em março, diretor conhecido pelos filmes O Balão Branco e O Círculo.

 

"Nós estamos solidários com um diretor companheiro, condenamos sua detenção, e fortemente urgimos ao governo do Irã que solte o senhor Panahi imediatamente", diz o texto.

 

Panahi, produtor de filmes enérgicos que examinam os problemas sociais na República Islâmica, era um simpatizante do líder oposicionista iraniano Mirhossein Mousavi nas eleições disputadas no ano passado, as quais foram vencidas pelo presidente Mahmoud Ahmadinejad sob suspeitas de fraude.

 

Em 1º de março, Panahi, de 49 anos sua mulher, filha e 15 convidados foram presos por policiais iranianos em sua casa, de acordo com líderes da oposição.

 

De acordo com a petição, Panahi desde então está detido na prisão de Evin, em Teerã. O texto cita uma carta da mulher do cineasta que manifesta "profundas preocupações com a condição do coração de seu marido, e com sua possível mudança para uma cela menor".

 

"Como artistas em qualquer lugar, diretores iranianos deveriam ser celebrados, não censurados, repelidos e aprisionados", diz o texto.

 

O primeiro filme de Panahi - O Balão Branco, de 1995 - ganhou o prêmio Camera d'Or no festival de Cannes, e O Círculo, de 2000, que observa o tratamento dado às mulheres no Irã, ganhou o principal prêmio no festival de Veneza.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.