Henry Nicholls/ Reuters
Henry Nicholls/ Reuters

Ariana DeBose tenta manter os pés no chão antes da grande noite do Oscar

Elogiada por sua atuação em 'Amor, Sublime Amor', atriz é favorita indiscutível na categoria de melhor atriz coadjuvante; veja trailer

Entrevista com

Ariana DeBose

Sigal Ratner-Arias, AP

19 de março de 2022 | 10h01

Rita Moreno disse-lhe “Aproveite, querida!” e é isso que Ariana DeBose tem feito nesta temporada de premiações.

A atriz, que vem conquistando todos os elogios por sua interpretação ardente de Anita em Amor, Sublime Amor, de Steven Spielberg - o mesmo papel que rendeu a Moreno o Oscar em 1962 - está indo para o Oscar em 27 de março como uma favorita indiscutível na categoria de melhor atriz coadjuvante após várias vitórias importantes no Screen Actors Guild Awards e na cerimônia do Bafta.

Tem sido uma longa jornada relâmpago viajando pelo mundo, conhecendo grandes estrelas e falando em público, mas DeBose está fazendo tudo o que pode para se manter com os pés no chão.

“Tento manter meus pés no chão e meu coração nos céus”, disse em uma entrevista recente via Zoom de sua casa em Nova York, explicando que dorme quando pode, desliga o telefone, brinca com seu gato e cachorros e tenta conversar com seus amigos.

“Esta é uma experiência extraordinária. É singular”, acrescentou. “É impossível descrever e não poderei descrevê-la até bem depois de ter terminado. Estou tentando continuar um ser humano.”

Em um ano que viu muitos latinos indicados depois de quase nenhum em 2021, DeBose, que é afro-latina e gay, também falou sobre diversidade e como ela está feliz em representar as comunidades às quais pertence.

Agora que já passou algum tempo desde o lançamento do filme e das indicações, você teve a chance de olhar para trás e processar tudo o que está acontecendo com você?

Acho que preciso de um pouco mais de tempo para entender completamente tudo o que está acontecendo. Mas eu me sinto bem! Estou cheia de gratidão, você sabe. Não vou dizer que não é um momento emocional, sinto todas as emoções! Há um pouco de pressão, mas há uma emoção genuína, e é um momento maravilhoso para ser um artista. Estou muito animada que, número 1, o trabalho foi feito; número 2,  foi visto e recebido dessa maneira. Porque muitas vezes, como artistas, fazemos trabalhos que não são vistos ou não são bem recebidos. Então, para mim, isso é um grande presente. Isso me deu a oportunidade de ser vista como humana, ser vista como artista e representar todas as comunidades às quais pertenço de uma maneira que espero que continue adiante.

Sem incluir você, você celebrou muitos dos artistas hispânicos, latino-americanos e espanhóis indicados ao Oscar este ano em um post no Instagram. O que você sente quando vê essa variedade de candidatos depois de quase nenhum no ano passado?

Acho que é importante. Estou emocionada ao ver o trabalho destacado e celebrado. Eu percebi depois do fato de não me incluir nesse post, mas percebi que falo sobre meu trabalho o tempo todo nas minhas redes sociais, então vamos celebrar o trabalho de outras pessoas! O mais real disso tudo, especialmente agora, é que sim, minha indicação é um momento significativo, mas é uma entre muitas e é isso que é realmente emocionante. Essas indicações abrangem a academia,  mas não são apenas indicações de atuação, são indicações de ofício. E quando falamos sobre progresso, temos que falar sobre colocar as pessoas na frente da câmera e atrás da câmera e nas salas dos roteiristas e em posições de poder, para que possamos continuar a contar nossas histórias de maneira autêntica e expandir o caminho pelo qual podemos contar nossas histórias.

Rita Moreno te deu algum conselho para a grande noite?

Ah não, ela apenas disse: “Aproveite, querida!” Que honestamente é o melhor conselho que se poderia dar. Porque, o que mais você vai fazer?

Você presta atenção às apostas ou aos críticos de cinema que avaliam quem eles acham que vai ganhar?

Não! (Risos) Quero dizer, estou ciente de termos como favorito, e estou ciente da empolgação em torno da categoria de atriz coadjuvante. E, francamente, deve haver emoção! São mulheres incríveis incluídas nesta categoria. Para celebrar todos os diferentes tipos de trabalho, os diferentes tipos de trabalho, acho que é um espaço emocionante para ser incluída. Quero dizer, posso representar as comunidades às quais pertenço, posso representar um filme do qual tenho orgulho e um trabalho em que acredito, e me sento ao lado de pessoas como Dame Judi Dench. Meu Deus! É simplesmente incrível.

Os figurinos desempenham um grande papel em “Amor, Sublime Amor”. Você pode nos dizer o que você amou nos figurinos e como eles ajudaram a informar seu humor e personalidade?

Bem, Paul Tazewell, nosso incrível figurinista, me deu um grande presente com os vestidos de Anita. Acho que falamos mais sobre os vestidos de “America”. Ela não está mais vestindo roxo (como no filme original de 1961); essa Anita é um raio de luz, ela é literalmente um raio de sol no lindo amarelo mostarda com a saia vermelha. Ela parece estar pegando fogo, está cheia de amor e paixão. E isso foi um presente, porque mostra sua força vital. E cada vez que ela gira é uma expressão de sua alegria. Eu amo isso. Foi uma ótima oportunidade de usar uma saia como adereço.

Falando em roupa, você sabe o que vai usar no Oscar?

Eu ainda não decidi totalmente, mas estou inclinada a usar algo que acho que será uma surpresa para algumas pessoas. Posso dizer que é muito Ariana DeBose, é essencialmente tudo o que sou. /TRADUÇÃO LÍVIA BUELONI GONÇALVES

 

Tudo o que sabemos sobre:
Rita MorenoSteven Spielbergcinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.