REUTERS/Danny Moloshok
REUTERS/Danny Moloshok

Após denúncias, Warner Bros corta vínculos com produtor Brett Ratner

Seis mulheres, incluindo as atrizes Natasha Henstridge e Olivia Munn, acusam o diretor de má conduta e assédio sexual

Associated Press

02 de novembro de 2017 | 15h51

Após denúncias de assédio sexual contra Brett Ratner, a Warner Bros decidiu cortar vínculos com o produtor. As informações foram confirmadas pela Associated Press por uma fonte com conhecimento das decisões do estúdio.

Segundo a AP, um contrato de produção envolvendo Ratner não será renovado neste ano e o produtor deverá deixar o escritório que aluga na sede da Warner, na Califórnia (EUA). Além disso, Ratner será afastado da produção da adaptação cinematográfica de O Pintassilgo, romance da escritora norte-americana Donna Tartt.

A Warner Bros também está avaliando os termos de um contrato de financiamento firmado com a RatPac Entertainment, produtora de Ratner, em 2013. Estimado em 450 milhões de dólares, o acordo vigora até março do ano que vem, mas corre o risco de ser suspenso.

+ Após diretor ser suspeito de abuso sexual, filme sobre criador da Playboy é adiado

Nesta semana, Brett Ratner foi acusado de má conduta e assédio sexual por seis mulheres, incluindo as atrizes Natasha Henstridge e Olivia Munn. As mulheres denunciaram o comportamento abusivo do produtor em uma reportagem publicada pelo Los Angeles Times nesta quarta-feira. O nome de Ratner se soma a crescente lista de astros de Hollywood acusados de assédio por homens e mulheres.

A Warner se recusou a comentar as decisões. Advogados de Ratner negam as acusações e afirmam que o produtor decidiu deixar projetos ligados ao estúdio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.