Reuters
Reuters

Antonio Banderas afirma que 'chegou a hora' de interpretar Pablo Picasso

Ator é o protagonista de '33 Días', contando a história do painel Guernica

O Estado de S. Paulo

15 de abril de 2014 | 11h23

O ator espanhol Antonio Banderas diz que “chegou a hora " de interpretar o pintor Pablo Picasso. Ele vai protagonizar 33 Días, filme que retrata a criação do painel Guernica, feito por Picasso em 1937. A direção do longa está a cargo de Carlos Saura, que trabalhou com Banderas em Dispara!.

“Há algum tempo descartei interpretá-lo. Mas cheguei em um momento da vida em que o entendo melhor, e estou quase na idade que ele tem quando o filme se ambienta, quando ele tem entre 56 e 57 anos. Estou chegando lá”, disse Banderas, que tem 53 anos.

O filme “é um retrato de um momento muito difícil, com a Guerra Civil Espanhola, o pedido da Espanha para que ele faça um mural, do qual declina, e depois aceita quando acontece o bombardeio de Guernica”, afirmou Banderas à imprensa em Málaga, sua cidade natal, onde Picasso também nasceu. Ele também resaltou o prazer de trabalhar novamente com Saura, “um homem a quem a Espanha deve muito no que diz respeito ao cinema e a cultura”.

Banderas ainda ressalta que o filme terá a presença de Gwyneth Paltrow. “Ela está apaixonada pela Espanha e fala espanhol e francês perfeitamente”, disse ele, lembrando que a direção de fotografia de 33 Días será de Vittorio Storaro (O Último Tango em Paris), uma “lenda do cinema mundial”.

A dúvida é se o longa poderá ser rodado em espanhol e francês, já que o filme se passará entre Espanha e França. “É muito difícil vender uma produção internacionalmente quando o filme não é falado em inglês. Os mercados são reticentes”, salienta Banderas, que pretende resolver o em breve o problema envolvendo 33 Días. A produtora original está em processo de falência e o ator teme que a situação atrase a filmagem. (Com informações da EFE)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.