Anne Hathaway promove 'Rio' no Complexo do Alemão

A atriz estava acompanhada do ator Jesse Eisenberg, que também faz a voz de um dos personagens principais

Efe,

25 de março de 2011 | 16h53

RIO DE JANEIRO - Os atores americanos Anne Hathaway e Jesse Eisenberg promoveram nesta sexta-feira o longa-metragem de animação Rio no Complexo do Alemão, o conjunto de favelas carioca que era um importante reduto criminoso até ser tomado pela Polícia e pelas Forças Armadas em novembro passado.

Os dois atores de Hollywood assistiram nesta sexta-feira a uma exibição do filme no Cinema Carioca, uma moderna sala equipada para produções em 3D que foi inaugurada dentro do Complexo do Alemão depois que a comunidade foi ocupada pela Polícia.

 

Anne, que no mês passado apresentou o Oscar, prêmio ao qual concorreu em 2009 por sua atuação em O Casamento de Rachel, e Eisenberg, que ganhou popularidade após interpretar o criador do Facebook, Mark Zuckerberg, no filme A Rede Social estão no Brasil desde segunda-feira para promover o filme do brasileiro Carlos Saldanha.

Os dois emprestaram suas vozes aos principais personagens de Rio, animação em 3D que narra a história de Blu (Eisenberg), uma simpática arara azul que viaja ao Rio de Janeiro para conhecer Jewel (Hathaway), uma fêmea de sua espécie com a qual passeia pelas principais atrações da cidade.

O longa-metragem, dirigido por Saldanha, criador da saga cinematográfica A Era do Gelo, tem sua estreia prevista para 8 de abril no Brasil e para uma semana depois no resto do mundo.

Na exibição estiveram presentes cerca de 50 alunos de escolas públicas do Complexo do Alemão selecionados por suas boas notas.

"Isto é um presente para vocês. Sei que todos são bons alunos e espero que se divirtam", disse Anne, que posou para fotos em frente à sala de cinema ao lado dos estudantes e do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes. EFE

Tudo o que sabemos sobre:
filmepré-estreiaRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.