Eric Montchaud
Eric Montchaud

Anima Mundi contorna falta de patrocínio e anuncia nova edição

Festival de animação, que perdeu o apoio da Petrobrás, arrecadou os R$ 400 mil necessários em crowdfunding

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2019 | 19h31

Depois de uma campanha de financiamento coletivo, que terminou nesta quinta-feira, 27 de junho, o Anima Mundi, um dos maiores festivais de animação do mundo, conseguiu arrecadar os R$ 400 mil em vaquinha virtual que precisava para realizar a próxima edição, depois de ter ficado sem o patrocínio da Petrobrás

“Estávamos produzindo o festival desde o início, não esperamos o final do crowdfunding para isso. Na medida do possível, fizemos o trabalho de seleção, por isso poderemos realizá-lo dentro da data prevista”, explica Aída Queiroz, uma das diretoras fundadoras do festival ao lado de Cesar Coelho, Léa Zagury e Marcos Magalhães.

A 27ª edição, portanto, vai acontecer de 17 a 21 de julho no Rio de Janeiro, e de 24 a 28 de julho, em São Paulo. Serão 303 filmes de mais de 40 países, incluindo 89 produções ou coproduções do Brasil, espalhados em cinemas e centros culturais das duas cidades. “A beleza plástica que as imagens dos filmes apresentam nesta edição é impressionante. Percebemos os animadores com um total domínio dos softwares”, diz Aída.

Tudo o que sabemos sobre:
Anima Mundi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.