Angelina Jolie teme perder Pax para mãe biológica

Em meio à especulações de que a mãe biológica do menino vietnamita Pax Thien, de 3 anos, que a atriz americana Angelina Jolie adotou recentemente, poderia entrar com um pedido legal para adquirir a guarda da criança, a estrela teria se mostrado preocupada em perder o novo integrante da família. O Departamento de Adoção Internacional do Vietnã assegurou, no entanto, nesta terça-feira, 27, que a mulher não poderá reclamá-lo na Justiça."Isso é impossível. Ela (a mãe biológica) não tem direito de reclamar a guarda do menino", afirmou o diretor do departamento, Vun Duc Long. "A polícia tentou achar a mãe em duas ocasiões, mas nunca a encontrou", nem recebeu notícias suas, acrescentou o funcionário.A progenitora, identificada por um tablóide britânico como uma vietnamita de 29 anos, não fez declarações após a adoção de seu filho pela estrela de Hollywood.No entanto, a imprensa britânica encontrou os avós maternos de Pax, que revelaram que sua filha é dependente de heroína, só causa problemas e que, quando descobrir o destino da criança, tentará obter algum lucro.O diretor do Departamento de Adoção Internacional insistiu que a mãe abandonou a criança e perdeu seu direito legal sobre ela. Long assegurou que o trâmite de adoção de Angelina foi de acordo com a lei e que "este filme acabou".A vencedora do Oscar de atriz coadjuvante pela atuação em Garota Interrompida (1999) deixou Hanói, no Vietnã, em 21 de março, acompanhada de Pax e de seu filho cambojano Maddox, de 5 anos, e da filha etíope Zahara, de 2 anos, após quase uma semana de trâmites.Durante sua estadia no Vietnã, Angelina disse que deixará sua carreira artística de lado por um tempo para se dedicar inteiramente a Pax, Maddox, Zahara e Shiloh Nouvel. A caçula, de 9 meses, que nasceu na Namíbia, é fruto de sua união com o ator Brad Pitt e é a única filha biológica da atriz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.