Arquivo/EFE
Arquivo/EFE

Angelina Jolie rebate críticas a sua estreia na direção

A atriz Angelina Jolie rebateu críticas feitas ao primeiro filme que está dirigindo, dizendo que a maioria das pessoas aprovou seu retrato de uma história de amor entre um sérvio e uma bósnia na véspera do conflito de 1992-95 nos Bálcãs.

John Irish , Reuters Life!

02 de dezembro de 2010 | 12h16

Falando em Paris antes da première, na próxima semana, de um filme muito diferente - a comédia romântica de ação The Tourist, em que contracena com Johnny Depp -, Jolie disse que a intenção de seu filme ambientado na Bósnia durante a guerra nunca foi provocar controvérsia.

Vítimas da violência sexual na Bósnia nos anos 1990 escreveram para a ONU, da qual a atriz premiada com o Oscar é embaixadora da boa vontade, dizendo que ela não merece o cargo e não sabe o suficiente sobre o conflito étnico.

"Há uma pessoa aborrecida", disse Jolie.

"A imensa maioria das pessoas, a população, o elenco, o primeiro-ministro, o presidente, têm me dado muito apoio", declarou ela, acrescentando que 95 por cento do elenco do filme viveu a guerra.

Jolie descreveu seu filme, ainda sem título, como uma história de amor entre um sérvio e uma bósnia na véspera da guerra de 1992-95, na qual 100 mil pessoas morreram.

Mas a equipe de produção transferiu as filmagens de algumas cenas de Sarajevo para Budapeste, depois de um ministro bósnio ter cancelado o alvará de filmagem em outubro, citando trâmites burocráticos incompletos.

A proibição aconteceu depois de o ministro ter se reunidos com mulheres vítimas da guerra bósnia que disseram fazer objeções a detalhes da trama.

Tudo o que sabemos sobre:
FILMEJOLIEBOSNIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.