Angelina Jolie critica prioridades do governo Bush

Angelina Jolie questionou as prioridades estabelecidas pelo governo norte-americano, que libera verba para guerras e não para infectados pelo vírus da AIDS ou refugiados. "Nossas prioridades são bastante estranhas", declarou a atriz em entrevista exclusiva concedida ao apresentador da CNN, Anderson Cooper, do programa Anderson Cooper 360.º, que foi ao ar na última terça-feira, nos Estados Unidos.Angelina afirmou que gastar dinheiro para sustentar guerras ao invés de acabar com conflitos pode custar caro no fim das contas. "Nós perdemos muitas oportunidades de fazer o bem, algo que a América (Estados Unidos) costumava fazer, historicamente fazia", disse a atriz, que é embaixadora da boa vontade da Organização das Nações Unidas (ONU) para refugiados.A protagonista de Tomb Rider disse também que quando viajou para Washington para arrecadar fundos para órfãos portadores do vírus da AIDS ouviu muitas pessoas explicarem que a guerra no Iraque era uma questão mais urgente a ser resolvida. Engajada, explicou que a tatuagem que fez nas costas, "Know Your Rights" (Conheça seus Direitos, em português) é uma frase extraída da Declaração Universal dos Direitos Humanos, adotada pela ONU em 1948. Angelina passou dois meses na Namíbia, país africano, especialmente para dar à luz a Shiloh Nouvel, sua primeira filha com o ator Brad Pitt. Shiloh Nouvel nasceu em 27 de maio em uma clínica particular de Walvis Bay. Angelina tem mais dois filhos adotivos, o cambojano Maddox, de 4 anos e a etíope Zahara, de 1 ano e meio. Pitt já deu entrada no processo para adotá-los também.Maddox e Zahara estão aos poucos se acostumando com a chegada da nova integrante da família. Zahara sente ciúmes, disse Angelina, mas para Maddox Shiloh Nouvel é como "um pequeno animal de estimação que você pode segurar e olhar a hora que quiser". Angelina, de 31 anos, revelou a Anderson Cooper que o casal planeja adotar mais uma criança. Ela e Pitt, de 42 anos, se apaixonaram durante as filmagens de Sr. e Sra. Smith (2005), o que fez com que o ator terminasse o casamento de quatro anos com a também atriz Jennifer Aniston. Enquanto isso, na entrevista que foi ao ar na última quarta-feira no programa de Cooper, Cher exaltou seus esforços para modificar os capacetes usados pelos soldados norte-americanos que estão no Iraque. A atriz, de 60 anos, doou mais de US$ 130 mil para a Operação Helmet, que paga cerca de US$ 100 para tornar cada capacete usado por soldados norte-americanos no Iraque menos suscetível à choques causados por bombas. "É ótimo poder usar a fama para ajudar em algo que você realmente acha que vale a pena".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.