Angelina e Pitt planejam adotar mais uma criança

Angelina Jolie disse, na primeira entrevista concedida a um veículo norte-americano desde o nascimento de sua filha com o ator Brad Pitt, Shiloh Nouvel, que os dois planejam adotar uma outra criança."O próximo passo será adotar uma outra criança", disse a atriz em entrevista exclusiva concedida ao apresentador da CNN, Anderson Cooper, do programa Anderson Cooper 360.º. Shiloh Nouvel nasceu em 27 de maio, em uma clínica particular de Walvis Bay, na Namíbia. Angelina tem mais dois filhos adotivos, o cambojano Maddox, de 4 anos, e a etíope Zahara, de 1 ano e quatro meses. Pitt já deu andamento ao processo para adotá-las.Seu próximo filho, disse ela durante a entrevista, será de outro país, embora ela não tenha decidido qual. "A decisão será tomada de acordo com o que será melhor para Mad (Maddox) e Z (Zahara)", disse a atriz a Cooper. Angelina admitiu que sentiu medo durante o parto de Shiloh Nouvel, elogiou o trabalho da equipe médica da Namíbia e revelou que Pitt esteve a seu lado. "Ele estava na sala de operação. E nós tivemos médicos incríveis, todo mundo foi tão gentil". O casal retornou aos Estados Unidos no início do mês, depois de uma estadia de dois meses na Namíbia. Ambos agradeceram, em coletiva de imprensa em um hotel de Swakopmund, na Namíbia, no último dia 7, a paz que o país proporcionou para toda a família. Angelina disse a Cooper que se inspira nas pessoas que ajuda na posição de embaixadora da boa vontade da Organização das Nações Unidas (ONU). "Você pensa, ´meu Deus, as coisas que essas pessoas vivem´", disse ela. "Eu devo algo a elas e (ajudando) paro de me lamentar com coisas do tipo ´estou cansada´". A entrevista concedida por Angelina será exibida na próxima terça-feira como parte de uma programação dedicada ao Dia Nacional dos Refugiados. Angelina, de 31 anos, e Pitt, de 42 anos, se apaixonaram durante as filmagens de Sr. e Sra. Smith (2005), o que fez com que o ator terminasse o casamento de quatro anos com a também atriz Jennifer Aniston.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.