Andrucha Waddington sai no New York Times

O filme Casa de Areia, de Andrucha Waddington, foi capa do caderno Arts & Leisure, do jornal The New York Times, no domingo. Na reportagem, o jornalista Larry Rohter entrevista o cineasta brasileiro e fala do parentesco que não está presente só na ficção (Fernanda Montenegro é mãe de Fernanda Torres, que é mulher de Waddington). O longa estréia em Nova York e em Los Angeles, nos EUA, no dia 11. A matéria começa contando sobre um aniversário de Andrucha Waddington há cinco anos, ocasião em que estava presente o produtor de cinema Luiz Carlos Barreto. Quando chegou a hora da entrega dos presentes, Barreto revelou que o seu era uma idéia: ele estava convencido de que Waddington podia transformar uma imagem - uma fotografia de uma mulher mais nova cercada por dunas - em filme. Quando visitava a região seca e árida do nordeste brasileiro, Barreto se deparou com a tal fotografia, que virou uma obsessão. Waddington não aceitou a proposta de imediato, pois tinha outros projetos em mente, entre eles o lançamento de um documentário sobre a música no Brasil. Mas ele tinha acabado de assistir a adaptação japonesa do livro de Kobo Abe, Woman in the Dunes e na mesma noite que Barreto ofereceu seu presente sonhou com o filme. Não teve então outra alternativa senão acatar a idéia de Barreto. A imagem pulou para as telonas em Casa de Areia, filme lançado em 2005 no Brasil e protagonizado pelas atrizes Fernanda Torres e Fernanda Montenegro. Casa de Areia foi filmado nos Lençóis Maranhenses e conta a história de três gerações de mulheres que se perdem num labirinto de areia para terminarem se encontrando. O lugar se parece mais com o deserto do Saara do que com o Brasil, e o filme trabalha com poucos diálogos, diz a crítica do NYT."Para mim, filmar é um processo intuitivo e não racional, então a inspiração pode vir em qualquer hora, em qualquer lugar", disse ao jornal Waddington. "Neste caso, é como se essas duas mulheres estivessem vivendo na lua e eu nem sabia disso", diz o diretor, referindo-se às personagens das Fernandas. Aos 75 anos, Fernanda Montenegro é a "grande dama" das atrizes brasileiras, comparada freqüentemente com Anna Magnani e Katharine Hepburn, publicou o NYT. Ela já trabalhou em dezenas de novelas brasileiras e em importantes produções como Central do Brasil (1999), que concorreu ao Oscar de melhor filme estrangeiro, mas frisa que Casa de Areia foi um dos trabalhos mais desafiadores e prazerosos de sua carreira, segundo depoimento da atriz. "Este filme é muito brasileiro, mas talvez diferente do que as pessoas fora do Brasil tendem a pensar que o Brasil é apenas samba, favelas e violência", disse Fernanda Montenegro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.