Andie MacDowell nas telas do cinema

Em 1989, Wim Wenders, presidindo ojúri do Festival de Cannes, apontou para o futuro do cinema aopremiar Sexo, Mentiras e Videotape com a Palma de Ouro. Odiretor era um estreante, Steven Soderbergh, e os atores umcerto James Spader, que ganhou o prêmio de interpretação emCannes, e uma desconhecida que haveria de se tornar um dosrostos mais conhecidos do planeta, nos anos seguintes. AndieMacDowell adquiriu essa notoriedade não apenas por causa dosfilmes que fez, mas principalmente por ser uma das garotasL´Oréal, a famosa marca de cosméticos. Seu rosto pode serconferido em outdoors espalhados pelo mundo afora. Você pode aténem saber seu nome, mas sabe quem é. Andie estrela a comédia O Que Elas Querem, de JohnMacKay, que estréia amanhã. Você sabe o que mulheres na faixa de40 anos querem. Amor, sexo (naturalmente), relacionamentosestáveis. As quarentonas queixam-se de que o mercado não estáformatado para elas. Andie ri, numa entrevista por telefone,desde Gaffney, na Carolina do Sul, onde mora (e nasceu, há 45anos). "Tenho certeza de que é a mesma coisa no Brasil. Reúnaduas ou mais mulheres na faixa dos 40 e elas em seguida vãoestar falando desse assunto." No filme de McKay, as personagenssão exatamente três amigas: Andie, Imelda Staunton e AnnaChancellor. Amargam os mesmos dissabores, mas eis que uma delasarranja um namorado, um forasteiro sexy. Por que ela? Por quenão eu, queixam-se intimamente as outras duas? A amizade entraem colapso. "Gostei da idéia do filme, acho que tem a ver com arealidade da mulher madura de hoje", conta Andie. Mas elaconcorda que o resultado não ficou dos mais brilhantes. Acha, dequalquer maneira, que o filme tem boas coisas e uma das melhores talvez a melhor, é Kenny Doughty, que faz o jovem sexy. "Eleme lembra o Brad Pitt de Thelma & Louise, que também serelacionava com uma mulher madura, mas sem a cafajestice. Assimque vimos Kenny, tivemos certeza de que ele era perfeito para opapel: sensível em vez de uma machão tradicional e ao mesmoforte e saudável, consciente do seu poder de atração." Até que ponto Andie se identifica com a personagem?"Inicialmente, quando me foi proposto, o roteiro chamava-seClube das Solteironas Necessitadas. Adorei a idéia dasamigas que se reúnem um dia da semana para pôr os assuntos, naverdade suas carências, em dia. Mas a minha identificação com apersonagem é mais conceitual. Sou casada, amo meu marido e nãoestou necessitada como minha personagem." Um dos aspectos queela considera mais interessantes do filme é que expressa o pontode vista de um homem sobre as mulheres. "John (o própriodiretor MacKay) escreveu um roteiro que tem idéias e isso ésempre ótimo." Andie admite que talvez não tivesse as mesmas carênciasdas mulheres do filme porque, afinal de contas, é uma atriz eisso sempre mexe com a fantasia dos homens. "Existe essa idéiado cinema como um mundo de glamour que atrai as pessoas." Umglamour que a ela, particularmente, não atrai. "Há muitafalsidade no mundo do cinema, mas não quero cuspir no prato deque como. Tenho uma carreira, gosto dela, só procuro manter-meafastada da mundanidade de Hollywood." Por isso mesmo mora coma família numa cidade do interior, casada com um amigo deinfância (que virou joalheiro famoso em Atlanta). Lá, você écapaz de não acreditar, ela diz que leva uma vida absolutamentecomum. "Não sou a Andie estrela de cinema, sou a Andie que elesconhecem desde pequena, que participa de atividades comunitárias do clube de mães. Preciso desse sossego." O repórter lembra uma vez em Cannes. Andie foi envolvidapor uma multidão de fotógrafos que a clicavam de todos osângulos. Sua expressão era de perplexidade. "Existe um ladomuito sério em Cannes, a competição, os debates. Mas Cannestambém é um circo e esse lado sempre me espanta. Por que essacuriosidade por nós, atores e atrizes, como se fôssemos animaisraros?" Como atriz, ela tem ido muito ao festival. Mas,independentemente dos filmes, também vai porque a L´Oréal é umadas empresas que patrocinam o evento e Andie precisa estar aolado, divulgando a marca. Não possui uma receita de beleza. "O importante é nãopraticar excessos e ser feliz. Se você está bem consigo mesma ecom o mundo, isso vai aparecer na sua pele, no brilho do olhar.Por outro lado, não há maquiagem que esconda se você estivermal." Concorda que ganhou muitos papéis pela beleza, mas leva acarreira, os filmes, a sério. Tem seus preferidos entre os quefez: "Sexo, Mentiras e Videotape" e "Harrison´s Flowers", deElie Chouraqui, sobre uma mulher que procura o maridodesaparecido na Guerra da Bósnia. "Foi o filme que mais exigiude mim como atriz, um trabalho fisicamente desgastante eemocionalmente muito forte. Todo mundo diz que eu correspondi àsexigências do papel. No íntimo, concordo. Nunca me senti maisatriz do que aqui." Serviço - "O Que Elas Querem" ("Crush"). Comédiaromântica. Direção de John McKay. Ing-Ale/2001. Duração 112minutos. Livre.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.