Swen Filmes
Swen Filmes

Análise: Arte salva a vida de Mike Tyson, após morte da filha

Quem acompanhou a carreira do pugilista jamais poderia imaginar que ele se tornaria uma atração agradável da TV, do cinema, teatro e das redes sociais

Wilson Baldini Jr., O Estado de S. Paulo

19 de agosto de 2018 | 06h00

Quem acompanhou a carreira do pugilista Mike Tyson, de 1985 a 2005, jamais poderia imaginar que aquele boxeador com cara de mau, violento e esmagador de cérebros se tornaria uma atração agradável da TV, do cinema, teatro e das redes sociais.

Com uma vida tumultuada fora dos ringues, Tyson dava a impressão para seus fãs de que não sobreviveria muito tempo. Em 2006, o campeão mais novo dos pesos pesados foi preso por porte de drogas e se internou no ano seguinte em uma clínica de reabilitação. “Eu gastava US$ 3 mil em conhaque e cheirava cocaína todas as noites.”

Mas, na noite de 26 de maio de 2009, uma tragédia familiar mudou sua vida. Exodus, a filha mais nova, de 4 anos, morreu enforcada em casa na esteira de ginástica. “Pensei em me matar”, disse o ex-lutador, que não estava em casa. 

Doze dias depois, Mike Tyson se casou com Lakiha “Kiki” Spicer, filha de um pastor protestante da Filadélfia. Eles se conheceram em 2002. “Disse para ele parar de beber, perder peso e deixar de comer carne”, afirmou Kiki. “Por seis meses, comi tomate, sopa de manjericão e bebi água”, revelou Tyson, que baixou o peso de 130 para 85 quilos. “Passei a viver para a família.” Ele tem sete filhos. Mora com três juntamente com Kiki e visita os outros quatro regularmente.

De bem com a vida, Tyson passou a ser chamado para vários eventos e, após a gravação de um documentário, teve o convite para estrelar um programa semanal sobre pombos, sua paixão, no canal Animal Planet. Na sequência, participou do filme Se Beber, Não Case. Sua desenvoltura diante da câmera chamou a atenção do consagrado diretor Spike Lee, que o orientou para o monólogo Undisputed Truth. Atração apresentada em dezenas de países traz um Tyson descontraído, ao contar passagens de sua vida dentro e fora dos ringues.

Além disso, gosta de brincar nas redes sociais e tem até um canal no YouTube, em que aparece com os filhos Morocco, Miguel Leon e Milan. O sucesso é tão grande, que a família é presença constante nas edições do Nichelodeon Kids Choice Awards. Aos 51 anos, Mike Tyson tem uma vida que jamais imaginou ter. “Quando era garoto, achava que não iria passar dos 20 anos de idade. Já passei dos 50. Sou um cara feliz.”

Tudo o que sabemos sobre:
boxeMike Tyson

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.