Divulgação
Divulgação

'A Colina Escarlate' é romance mórbido na trilha violenta de Brian De Palma

Diretor ergueu um belo monumento gótico; veja o trailer

Luiz Carlos Merten, O Estado de S. Paulo

19 Outubro 2015 | 11h56

Ainda não foi desta vez que Guillermo del Toro realizou seu ambicioso projeto de adaptar As Montanhas da Loucura, de H.P. Lovecraft, com o astro Tom Cruise. Mas o cinéfilo não tem por que se queixar. No vazio da obra

(temporariamente?) suspensa, ele ergueu um belo monumento gótico. A Colina Escarlate pode ser visto como uma súmula/soma de filmes que ele viu e livros que leu. Há um pouco de William Wyler (Tarde Demais/The Heiress), de Alfred Hitchcock (Rebecca) e Joseph L. Mankiewicz (O Solar de Dragonwyck), assim como existem ecos de Emily Bronte (a charneca de O Morro dos Ventos Uivantes) e muito, mas muito mesmo, da violência obsessiva de Brian De Palma. Poderia ser uma colcha de retalhos. É apaixonante e até original. O romantismo mórbido de Del Toro é coisa dele.

E nunca é plágio, mas referência. A herdeira de A Colina Escarlate chama-se Edith Cushing, e o nome já fornece duas chaves. Aspira ser escritora, como Edith Wharton, e seu universo é fantástico, como aquele em que reinava o ator Peter Cushing. Edith escreve sobre fantasmas que a advertem - “Fuja de Crimson Peak”. Mas é para onde ela vai ao se casar, contra a vontade do pai, com Sir Thomas Sharpe. Na decrépita mansão do aristocrata, ela descobre que o perigo real não vem dos mortos, mas dos vivos. Sir Thomas tem uma irmã, e todo cuidado é pouco com ela. Edith vai encontrar seu inferno. Mas há redenção nessa fábula sombria.

Em filmes como O Labirinto do Fauno, Del Toro já trafegou pelo universo das mentes enfermas, ao qual volta aqui. A casa não apenas esconde segredos - como a mente humana. Também é uma personagem tão importante quanto as interpretadas por Mia Wasikowska, Tom Hiddleston e Jessica Chastain. Os irmãos incestuosos, Tom e Jessica, deixam um rastro de cadáveres e corações destroçados. Mas o triângulo é, na verdade, desde o começo, um quadrilátero e Edith, no limite, será amada por dois homens, que se arriscarão para salvá-la. Talvez, para desfrutar as maravilhas de A Colina Escarlate, o espectador tenha de se entregar ao fluxo das imagens e sons, sem tentar ‘entender’. O elenco ajuda, e muito. Em especial, Tom Hiddleston, o Lóki, irmão de Thor. Muita gente já dizia, desde lá, que era gênio. Aqui, com certeza, é. 

 

Mais conteúdo sobre:
cinema Guillermo Del Toro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.