Amsterdã destaca cinema brasileiro

O documentário brasileiro é destaque na décima edição do Festival Internacional de Amsterdã, que abre nesta quinta-feira na cidade holandesa e vai até 1.º de dezembro. A cada ano, a organização convida pessoas de relevo no cenário audiovisual para exercer a curadoria da mostra paralela Top Ten, como Krzysztof Kieslowski, Agnès Varda e os irmãos Paolo e Vittorio Tavianni já fizeram em anos anteriores. Este ano, os diretores Walter Salles Jr. e João Moreira Salles são os curadores. Eles fizeram uma seleção abrasileirada. Entre os filmes selecionados pelos irmão Salles estão Cabra Marcado Para Morrer, de Eduardo Coutinho, Notícias de Uma Guerra Particular, de João Moreira Salles e Kátia Lund, Socorro Nobre, de Walter Salles, Futebol, de Arthur Fontes e João Moreira Salles e filmes de outras nacionalidades. Completam a programação da mostra Top Ten os filmes Don?t Look Back, de D.A. Pennebaker,Grey, dos irmãos Albert e David Maysles, Moi, Um Noir, de Jean Rouch, Por Primera Vez, do cubano Octavio Cortázar, Reminiscences of a Journey to Lithuania, de Jonas Mekas e The Battle of San Pietro, de John Huston. Dois brasileiros participam de júris do festival. O cineasta e jornalista Francisco Cesar Filho será jurado da competição de curtas do festival, chamada de Silver Wolf Award. E Amir Labaki, criador do festival de documentários É Tudo Verdade, fará parte do júri do Prêmio Anistia Internacional - Doen.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.