"Amores Possíveis" estréia em 80 salas

- Há um momento admirável em Amores Possíveis. São três histórias intercaladas, três vidas possíveis de um mesmo homem. Na segunda, Murilo Benício faz o gay que abandona a mulher para assumir sua opção de viver com outro homem. Mas encontra a ex-mulher num bar. Dançam, em homenagem aos velhos tempos, aninham-se nos braços um do outro. É a cena preferida da diretora Sandra Werneck. Amores Possíveis estréia no dia 30 em 80 salas do País. Na terça, a Fox chamou jornalistas de todo o Brasil, no restaurado cine Odeon, na Cinelândia do Rio. Após a sessão, houve uma coletiva (Sandra e Benício, mais Emílio Mello, também no elenco). À tarde o trio deu entrevistas para pequenos grupos, no Copacabana Palace.Há uma grande festa nessa quinta-feira, no Parque Laje, também no Rio, para marcar o lançamento de Amores Possíveis, que chega ao mercado credenciado pelo prêmio de melhor filme latino que recebeu em janeiro no Festival de Sundance, em Park City, Utah, nos EUA. Não é tão simpático e divertido como Pequeno Dicionário Amoroso, a primeira ficção da diretora, mas leva jeito de agradar ao grande público. Sandra está empenhada em falar de amor, de afeto, de relações. O próximo filme vai se chamar Janelas Abertas. Um filme sobre mulheres, outro filme sobre afetos.Sandra, que fez 410 mil espectadores com o Dicionário, espera fazer agora pelo menos 600 mil. Mas, para atingir essa meta, a diretora demostrou uma certa inquietação quanto à decisão do departamento de Classificação Etária Indicativa do Ministério da Justiça, que desaconselhou o filme para menores de 16 anos o que pode diminuir o potencial de público. Seu filme recebeu a mesma classificação que Hannibal, atualmente em cartaz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.