Blue Sky Studios/Divulgação
Blue Sky Studios/Divulgação

"Amo tudo isso", diz Santoro

Embora não seja carioca ‘da gema’ - nasceu em Petrópolis -, Rodrigo Santoro ficou feliz de ter sido convidado por Carlos Saldanha para embarcar no projeto de Rio. "A primeira vez em que ele me falou do filme foi num aeroporto. Carlos é carioca e o filme é sua declaração de amor à cidade. Eu também amo isso aqui. Praia, sol, surfe, belas mulheres, é a minha casa, mesmo que meu sotaque não seja o do carioca típico."

08 Abril 2011 | 07h00

Ou seja, Rodrigo não carrega nos Ss. Ele é a única voz nas duas versões, dublada e legendada, de Rio. Faz o ornitólogo que convence garota norte-americana a trazer Blu, o último macho das araras-azuis, para o Brasil, para que ele acasale a última fêmea. O detalhe é que Blu não sabe, ou não consegue, voar. E, no País, ele e a fêmea são sequestrados por comerciantes ilegais de pássaros raros.

Rodrigo já forneceu a voz a Stuart Little, mas ressalta - "É muito diferente dublar no Brasil e servir de modelo para os animadores, na versão original. A participação no processo criativo é muito maior." Por falar em ‘participação’, Rodrigo está animadíssimo com seu novo filme brasileiro, Heleno, sobre o lendário jogador do Botafogo, Heleno de Freitas. "Além de ator, sou também produtor. Vi a primeira montagem e me afastei um pouco para deixar o Zé (o diretor José Henrique Fonseca) à vontade. Está muito bacana. Acho que vai ser o grande filme brasileiro sobre futebol." / L.C.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.