Americano confessa pirataria de 200 filmes do Oscar

Um americano de Illinois admitiu ter pirateado cerca de 200 filmes candidatos ao Oscar, entre elas Seabiscuit - Alma de Herói e Kill Bill 1, de Quantin Tarantino. Russell W. Sprague assumiu a culpa em audiência da Corte federal, ontem, em Los Angeles, e pode pegar até três anos de prisão. A sentença só sai em 28 de julho.Sprague, de 51 anos, recebia cópias das fitas que a Academia envia a seus membros para avaliação e as reproduzia ilegalmente. Entre as pessoas que lhe mandavam as fitas estavam o ator Carmine Caridi, que apareceu em O Poderoso Chefão, e Nicky Blair, morto em 1998.A prisão de Sprague é a primeira da campanha que a Academia move contra a pirataria. A entidade chegou a proibir o envio de cópias a seus mais de 5 mil membros votantes, mas acabou voltando atrás. A medida, que obrigaria os avaliadores a conferirem os filmes nos cinemas, foi acusada pelos cineastas independentes de prejudicar produções de circulação mais modesta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.