Reuters
Reuters

Almodóvar elogia habilidade de Banderas para 'encarnar a paixão e o desejo'

Vinte e um anos depois de 'Ata-me', Banderas trabalhou com o diretor em 'A Pele que Habito', longa elogiado em Cannes

EFE

11 de agosto de 2011 | 15h03

Paris (EFE) - O diretor de cinema espanhol Pedro Almodóvar disse que "não há ninguém melhor" do que o ator Antonio Banderas para encarnar a paixão e o desejo e adorou o fato dele ter aceitado protagonizar seu novo filme, A Pele Que Habito, 21 anos após terem feito Ata-me.

 

Em entrevista publicada nesta quinta-feira pelo semanário francês "Paris Match", Almodóvar, de 61 anos, declarou que tinha "saudade de Antonio" e confessou ter ficado "encantado" quando o ator aceitou o papel principal de sua última obra, que estreia na Espanha em 2 de setembro.

 

"Quando terminei de escrever o roteiro, pensei em Antonio e senti que ele estaria pronto para voltar a rodar comigo na Espanha. Não há ninguém como ele para encarnar a paixão e o desejo", destacou à revista.

 

Com a mesma sinceridade reconheceu que ele mesmo como diretor é "obsessivo e meticuloso nos detalhes", até o ponto de poder chegar "a um pesadelo para sua equipe", mas admitiu que "um diretor não deve abusar do enorme poder e da posição de legitimidade que tem".

 

Sobre se seus filmes são uma espécie de autorretrato, afirmou que se "protege muito mais" que outros célebres colegas como Ingmar Bergman, John Cassavetes e Alfred Hitchcock, embora acrescentou que "a criatividade é mais excitante quanto mais conectada estiver com a realidade". EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.