Almodóvar diz que quer disputar o Festival de Cannes

O diretor espanhol Pedro Almodóvar disse hoje que está disposto a ir ao Festival de Cannes, caso alguém o convide, eventualidade que o fez reservar na agenda "uns dias em maio". O festival acontece entre os dias 17 e 28 de maio e o nome de Almodóvar foi um dos primeiros a surgir na lista dos prováveis diretores que vão competir na mostra. "Estamos esperando uma resposta, como todos que tem um filme na lista para essa data", explicou o cineasta em uma roda de imprensa, quando questionado sobre seus projetos para a comédia épico-erótica Volver, com Penélope Cruz, seu último filme. "Eles já viram (Volver) e estamos esperando uma resposta. Mas o festival é muito hermético e até o dia 19 ou 20 de abril não dirão nada". Pedro Almodóvar, um dos cineastas mais conhecidos da atualidade, quase sempre está presente em Cannes. Em 2004, seu filme Má Educação abriu o festival. Os únicos títulos confirmados até o momento em Cannes são o aguardado filme de Ron Howard, com Tom Hanks como protagonista, O Código da Vinci, que abrirá o festival no dia 17 de maio, e o longa-metragem feito por diversos diretores Paris Je T´aime, que abrirá a mostra paralela Um Certain Regard no dia seguinte.Homenagem a AlmodóvarNeste mês de abril a Cinemateca da França realiza uma homenagem ao diretor espanhol, com uma retrospectiva que inclui uma exposição, uma sucessão de projetos e vários encontros com Almodóvar. Entre os 400 convidados esperados, Caetano Veloso deverá realizar um show, segundo informaram à EFE os organizadores do evento. Caetano e Almodóvar são amigos e o cantor brasileiro participou de cena de um de seus filmes mais recentes, Fale com Ela, cantando Cucurucucu Paloma. O filme contém ainda na trilha sonora Por Toda a Minha Vida, interpretada por Elis Regina e Tom Jobim. Na retrospectiva dedicada ao diretor espanhol, além da exibição de seus 16 longas e dois curtas, exibirá filmes de outros diretores eleitos pelo próprio Almodóvar e contará com sua presença em vários encontros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.