Alida Valli, ícone do cinema italiano, morre aos 85 anos

A atriz Alida Valli, nascida na Polônia em 1921 e considerada um dos ícones do cinema italiano, morreu ontem em Roma, informaram seus parentes.A estréia de Alida Maria Altenburger foi em 1934 com Il Cappello a Tre Punte. Em 1936 atuou em I Due Sergenti, mas foi depois da Segunda Guerra Mundial, com O Caso Paradine, de Alfred Hitchcock, em 1947, e O terceiro homem, de Carol Reed, em 1949, que Alida ganhou projeção internacional.Trabalhou com Luchino Visconti, em Sedução da Carne (1954) e Sua filmografia conta com numerosos títulos, entre os quais figuram 1900 (Novecento), de Bernardo Bertolucci (1977) e Édipo Rei, dirigido por Pier Paolo Pasolini, em 1967.Em 1982, recebeu o prêmio David de Donatello, o Oscar italiano, como melhor atriz por La Caduta Degli Angeli Ribelli, e em 1991 ganhou o mesmo prêmio em reconhecimento por toda sua carreira. Em 1997, levou o Leão de Ouro por sua contribuição ao êxito do cinema italiano.Sua morte foi sentida no mundo do cinema italiano e o prefeito de Roma, Walter Veltroni, disse que com ela se foi "um dos rostos mais significativos e intensos das telas". Veltroni também anunciou que as exéquias ocorrerão amanhã na sede da Prefeitura de Roma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.