Ali Agca receberá US$ 8 milhões por filme hollywoodiano

Segundo a revista semanal italiana Gente, que chegará às bancas amanhã, ele receberá 8 milhões de dólares.A revista afirma, no entanto, que Agca terá de seguir novas regras para que o acordo siga em frente. Por enquanto, deve evitar outros problemas com a justiça e, depois, diante da equipe de produção, deverá revelar, sob contrato, tudo que há de misterioso e pouco explicado sobre o atentado de 13 de maio de 1981 contra o papa João Paulo II. Haydar Mengi, o amigo responsável pela segurança física do ex-preso, disse à Gente que Ali Agca está em perigo. "Matá-lo é a única forma de fazê-lo se calar. Estou convencido de que ele só se salvará se falar, mas deve fazer isso com o maior número de pessoas possível", explicou. A revista prossegue dizendo que o homem que atentou contra o Papa deixou de aparecer em público por motivos ligados ao filme: não deve conceder entrevistas e seu rosto não deve ser visto em público, caso contrário terá de arcar com pesadas multas. Fala-se ainda de uma antecipação de US$ 500 mil já entregue a seu advogado, Mustafá Demirbag.O ex-preso está prestes a partir para o México, onde algumas cenas do filme serão rodadas, de modo a proteger a produção do filme das críticas de parte da opinião pública norte-americana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.