AFP/Arquivos / Robyn BECK
AFP/Arquivos / Robyn BECK

Acusado de conduta imprópria na Disney, John Lasseter vai comandar outro estúdio

O executivo e cineasta, conhecido por comandar o estúdio Pixar e dirigir filmes como 'Toy Story', se demitiu no ano passado

AFP, O Estado de S.Paulo

10 de janeiro de 2019 | 11h39

O executivo e cineasta John Lasseter, que se demitiu da Disney após denúncias de comportamento inapropriado, no âmbito dos escândalos sexuais que sacodem Hollywood, dirigirá outro estúdio de animação.

O Skydance Media anunciou nesta quarta-feira, 9, que Lasseter, conhecido por transformar a Pixar de um pequeno departamento gráfico da Lucasfilm no estúdio de animação mais bem sucedido do mundo, passará a dirigir sua unidade de animação, fundada em 2017.

"John é um talentoso criativo e executivo cujo impacto na indústria da animação não pode ser menosprezado", disse em um comunicado o presidente do Skydance Media, David Ellison. "Foi responsável por levar a animação à era digital, ao mesmo tempo em que contava histórias incomparáveis que continuam inspirando e entretendo o público em todo o mundo".

Lasseter anunciou sua demissão como diretor criativo da Disney em junho passado, após um ano de licença, devido a uma série de denúncias contra sua equipe.

Sua saída ocorreu no âmbito da onda de escândalos de abuso sexual que sacudiram Hollywood, e que começaram com as denúncias de abuso contra o produtor Harvey Weinstein que deram início a movimentos como #MeToo e Time's Up.

Ellison esclareceu que a decisão não foi tomada sem reflexão. "John reconheceu e pediu desculpas por seus erros e, durante este último ano longe do trabalho, se esforçou por corrigi-los".

Ganhador de dois Oscars e diretor de sucessos como Toy Story, Lasseter disse que dedicou este ano a fazer uma reflexão profunda.

"Aprendi como meus atos fizeram com que meus colegas se sentissem incomodados sem querer, o que lamento profundamente e pelo que peço desculpas. Foi instrutivo e penso que me tornará um líder melhor".

"Não quero mais que a oportunidade de voltar a minhas raízes criativas", seguiu. "Construir e inventar de novo. Me uno ao Skydance com o mesmo entusiasmo que me levou a ajudar a construir a Pixar, com o firme desejo de contar histórias originais e diversas para o público de todo o mundo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.