Arquivo/AP
Arquivo/AP

Acusado de agredir fotógrafo, ator Sean Penn terá que fazer terapia

Penn foi condenado a três anos de liberdade vigiada e terá de cumprir 300 horas de trabalho voluntário

Efe,

12 de maio de 2010 | 21h30

O ator Sean Penn foi condenado nesta quarta-feira, 12, a três anos de liberdade vigiada e terá que fazer 36 horas de terapia, após ser acusado de agredir um fotógrafo.

 

Segundo a revista People, o vencedor de dois Oscars não se pronunciou, por meio de seu advogado, na corte de Los Angeles onde foi conduzido o caso.

 

Penn deverá cumprir ainda 300 horas de serviço comunitário, o que poderá ser feito através de seus atuais trabalhos humanitários.

 

Se nos próximos três anos o ator tiver algum problema com a lei, poderá ir para a prisão. A acusação pedia 18 meses de reclusão.

 

O ator foi acusado de vandalismo por ter quebrado a câmera do fotógrafo e por agredi-lo. O incidente aconteceu em 2 de outubro do ano passado, na saída de um centro comercial em Los Angeles e foi filmado pelos repórteres do site TMZ.

 

Penn já foi acusado de violência doméstica durante sua relação com Madonna e, em 1987,passou 33 dias na prisão por agredir um paparazzo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.