Netflix
Netflix

'A Filha Perdida’ conquista fãs de Elena Ferrante

Para a jornalista Giuliana Bergamo, especialista em Elena Ferrante, o longa segue bem o roteiro e engrandece a obra original

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

28 de março de 2022 | 05h00

Disponível na Netflix, o filme A Filha Perdida, da diretora e roteirista Maggie Gyllenhaal, agradou aos fãs de Elena Ferrante, a autora italiana que vem sendo festejada no mundo todo nos últimos anos. O longa é baseado na obra de mesmo nome da autora. Leda, a protagonista, é uma professora universitária prestes a completar 48 anos, que, durante férias na praia, rememora sua juventude como mãe. Ela faz isso enquanto interage com uma família espalhafatosa, que tem como centro uma jovem mãe, sua filhinha e a boneca da menina. Para a jornalista Giuliana Bergamo, que é uma especialista em Elena Ferrante e fez sua dissertação de mestrado sobre o livro A Filha Perdida, o longa segue bem o roteiro e engrandece a obra original.

DESPEDAÇAMENTO

“É uma adaptação fiel e faz uma reverência a obra da Ferrante. Fica claro que a Maggie (Gyllenhaal) tem uma paixão pela obra dela”, disse Giuliana, que cita detalhes curiosos, como referências a Leonard Cohen, David Lynch, mitologia e outras obras da autora. Para a jornalista, o filme transportou a sensação de “despedaçamento” das mães e preservou a camada psicanalítica do livro sobre o medo sempre presente do abandono.

RAINHA 

Giuliana confessa que recebeu com desconfiança a notícia que Olivia Colman estaria no papel principal porque a atriz estava muito conectada com a rainha da Inglaterra da série The Crown, também da Netflix. “Mas ela me surpreendeu e teve uma atuação incrível”, afirmou.

PSEUDÔNIMO 

Elena Ferrante é na verdade um pseudônimo. A identidade real nunca foi revelada, apesar de várias suspeitas. A escritora tem livros traduzidos em mais de 50 países. 

 

SEQUESTRO NO AR 

A produtora Escarlate começa a filmar no segundo semestre a ficção O Sequestro do Voo 375, com direção do Marcos Baldini (de Bruna Surfistinha), sobre a história real de um maranhense desempregado que sequestra um avião com o objetivo de atingir o Palácio do Planalto e matar o então presidente José Sarney.

UNICÓRNIO 

Tem muita química na dupla Jared Leto e Anne Hathaway na série We Crashed, da Apple TV+, que conta a ascensão vertiginosa e a queda do fundador da WeWork, uma startup norte-americana. 

 

MARCA GLOBAL 

A empresa foi um único espaço de coworking para uma marca global no valor de US$ 47 bilhões em menos de uma década. Em seguida, em menos de um ano seu valor despencou devido aos desvarios do fundador. 

GESTÃO 

Em maio, a Paramount+ vai colocar em seu cardápio a série Super Pumped: The Battle For Uber, que conta a história de criação do Uber. A produção mostra como nasceu o app e como sua gestão era tóxica.

MARCA GLOBAL 

O documentário O Caso Celso Daniel, que está disponível na Globoplay, mistura dramatização (com Tuca Andrada no papel de Sérgio Gomes da Silva), animação, depoimentos e imagens de arquivo. A receita deu certo. 

ISENÇÃO 

O filme não toma lado e acompanha a ofensiva do PT contra o então governador tucano Geraldo Alckmin, em 2002, após o assassinato do prefeito de Santo André, Celso Daniel. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.