Fox Filmes
Fox Filmes

'A Favorita': saiba mais sobre um dos filmes que lideram as indicações ao Oscar 2019

Longa de Yorgos Lanthimos empata com 'Roma', de Alfonso Cuarón, com 10 indicações este ano

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de fevereiro de 2019 | 06h00

Entre os indicados ao Oscar de melhor filme este ano, vários trazem histórias reais - ou pelo menos altamente inspirados por acontecimentos reais - como Bohemian Rhapsody, Vice e Green Book: O Guia. A Favorita, do diretor grego Yorgos Lanthimos, traz, talvez, a mais antiga delas.

O filme se passa na Grã-Bretanha do século 18, sob o comando da rainha Anne, vivida por Olivia Colman, já numa fase da sua vida em que estava doente e com dificuldade de locomoção. Um dos marcos do reinado de Anne foi a sua amizade com a duquesa de Marlborough, Sara Churchill, no filme interpretada por Rachel Weisz

A relação completamente íntima, quase amorosa, entre as duas, é abalada com a chegada de Abigail Masham (Emma Stone), uma prima de Rachel que surge para brigar pelo título de favorita da rainha. 

Mundialmente, o filme já arrecadou cerca de 71,2 milhões de dólares - longe do 1.3 bilhão de Pantera Negra, mas acima dos 54,8 milhões de Vice. Os três longas concorrem na categoria de melhor filme do Oscar deste ano, junto com Infiltrado na KlanBohemian RhapsodyGreen Book: O GuiaRoma e Nasce Uma Estrela

Ao todo, A Favorita concorre em 10 categorias na edição deste ano do Oscar, o que faz com que lidere as indicações junto com Roma, com 10 para cada. 

Além de disputar melhor filme, o longa tem ainda o cineasta Yorgos Lanthimos competindo como melhor diretor, Olivia Colman como melhor atriz e ainda Rachel Weisz e Emma Stone como melhor atriz coadjuvante.

É improvável que A Favorita vença a maioria destas categorias, mas alguma vitória é possível, de acordo com o seu desempenho em outras premiações. No Globo de Ouro, Olivia Colman venceu na categoria de melhor atriz em comédia ou musical - mas não teve que disputar com Glenn Close, de A Esposa, que venceu como atriz de drama.

Já no Bafta, o "Oscar britânico", não apenas Olivia venceu como melhor atriz, como Weisz venceu na categoria de coadjuvante. O longa ainda ganhou o prêmio de melhor filme britânico, mas perdeu para Roma na categoria principal da premiação, de melhor filme. 

A favorita fez também uma boa passagem pelo Festival de Veneza, em que ganhou o prêmio especial do júri, com Olivia Colman recebendo o prêmio Volpi Cup de melhor atriz.

As demais indicações de A Favorita ao Oscar são nas categorias de melhor roteiro original, para Deborah Davis e Tony McNamara; melhor direção de arte, para Fiona Crombie e Alice Felton; melhor figurino, para Sandy Powell; melhor fotografia, para Robbie Ryan; e melhor montagem, para Yorgos Mavropsaridis.

Ainda no Bafta, realizado no último dia 10, A Favorita levou também os prêmios de roteiro, direção de arte, figurino e maquiagem. 

O que diz a crítica? 

Para o crítico de cinema do Estado, Luiz Carlos Merten, um dos maiores destaques do filme são as escolhas de Lanthimos como diretor. "Outro diretor talvez contasse essa história de forma realista, e pronto. Lanthimos busca o estranhamento. Em alguns momentos, ele usa lentes distorcidas – grandes angulares – para desestabilizar os movimentos da câmera, e das personagens, em interiores", disse o jornalista, em sua crítica para o filme. "O tema de A Favorita é o poder – seu cerimonial. As duas amantes querem exercer seu poder sobre a rainha, e que a corte saiba disso. Quem está mandando? Quem está no poder? Mas se engana quem pensa que a rainha é a vítima perfeita dessas artimanhas. Ela também faz seu jogo, e sabe ser cruel."

Ainda de acordo com Merten, o filme pode até ser considerado "anti-hollywoodiano". "Lanthimos filma a instabilidade do mundo, e do poder. Quem pode manda. Quem depende obedece. Emma conquista a rainha colocando sua língua em lugares que Rachel não atingiu, mas até isso pode lhe ser cobrado, e com juro", escreveu sobre o longa. "É um filme forte, suntuoso – figurinos de Sandy Powell –, mas cujo objetivo não é encher os olhos. Lanthimos não tem ilusões. O mundo suntuoso é sórdido. Num certo sentido – anti-hollywoodiano."

Oscar 2019 | Melhor atriz: quem vai levar o prêmio?

Oscar 2019 | Melhor ator: quem vai levar o prêmio?

Onde assistir ao Oscar

Na TV

A cerimônia de entrega do Oscar de 2019 será neste domingo, 24, com início às 22h pelo horário de Brasília. 

No País, o Oscar será transmitido por dois canais, de TV aberta e fechada. Na Globo, a transmissão vai iniciar com alguns prêmios já entregues, por começar apenas após o programa Big Brother Brasil 19

O Oscar será transmitido também pelo canal pago TNT, que inicia a exibir o tapete vermelho já às 21h. A premiação começa às 22h e será transmitida na íntegra pelo canal. 

Para quem gosta de acompanhar o tapete vermelho, o desfile de celebridades que participam da premiação será transmitido pelo canal pago E! a partir das 19h. 

Na internet 

Os assinantes da TNT podem assistir à premiação por meio do serviço de streaming do canal, o TNT GO. É possível, também, acompanhar a premiação ao vivo no próprio site do Oscar

O Estado também vai acompanhar a premiação minuto a minuto, com informações do editor do Caderno 2, Ubiratan Brasil, direto de Los Angeles, e com comentários dos críticos Luiz Carlos Merten e Luiz Zanin. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.