'À Deriva' tem recepção calorosa em Cannes

Único filme brasileiro no festival, longa de Heitor Dhalia foi aplaudido por quase dez minutos em première

Flávia Guerra, O Estado de S. Paulo

21 de maio de 2009 | 20h12

Vincent Cassel, Laura Neiva, Deborah Bloch e Heitor Dhalia na première de 'À Deriva'. Foto: Efe

 

CANNES - À Deriva, de Heitor Dhalia, único filme brasileiro em competição no Festival de Cannes 2009, foi aplaudido por quase dez minutos em sua première mundial terminada há pouco na cidade da Riviera francesa.

 

Veja também:

blog  Acompanhe a cobertura de Cannes no Blog do Merten

 

O longa metragem que integra a seção Um Certo Olhar, a segunda mais importante do festival, foi uma das boas surpresas desta quinta-feira. A garota Laura Neiva, que fez sua estreia como atriz no filme, já é apontada como uma das maiores revelações da nova safra do cinema brasileiro.

 

"Laura foi uma grande descoberta e todos nós estamos muito felizes de ver esse filme nascer aqui em Cannes. Sempre fui apaixonado por esse festival. Hoje é um dia muito especial para nós", contou Heitor Dhalia, com lágrimas nos olhos.

 

Com roteiro do próprio Dhalia, o filme leva para as telas o rito de passagem de Filipa (Laura Neiva) da infância para a adolescência. A ação se passa durante as férias de verão da garota com a família em Búzios. À Deriva também marca a estreia nas telas da parceria entre a Focus (braço independente da Universal) e a brasileira O2 Filmes.

 

Vincent Cassel, protagonista do longa que conta ainda com Deborah Bloch e Camille Belle no elenco, brincou na abertura da sessão. "É um dia especial mesmo porque este é um festival francês e eu sou ator brasileiro. Eu adoro o Brasil, e garanto para vocês: é melhor lá embaixo. O cinema brasileiro passa por uma fase incrível", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
Cannes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.