Reprodução
Reprodução

A bela cinquentona Marisa Tomei

Por sua atuação em 'Meu Tio Vinny' ganhou o Oscar de coadjuvante, em 1993; atriz completa 50 anos nesta quinta, 4

Luiz Carlos Merten, O Estado de S. Paulo

04 Dezembro 2014 | 14h04

Marisa Tomei já havia feito pequenas participações em filmes que passaram despercebidos. E aí, em 1991, Sylverster Stallone resolveu fazer uma comédia - Oscar. No Brasil, chamou-se Minha Filha Quer Casar. Marisa fez sua filha. Os críticos caíram matando - no filme, no ator, na jovem atriz. Ela chegou a ser indicada para a Framboesa de Ouro, como pior atriz. Mas para algo serviu o papel. Deu-lhe visibilidade e, no ano seguinte, Marisa coestrelou Meu Primo Vinny, com Joe Pesci. Dessa vez, ganhou o MTV Award como atriz revelação e o Oscar de melhor atriz coadjuvante.

Filha de uma professora de inglês, do Brooklyn, a garota de origem italiana cresceu atormentada pela mãe, que lhe cobrava quando não pronunciava as palavras direito. Marisa hoje admite que a mãe estava certa. Para uma atriz, que ela já queria ser, falar errado não ia ajudar nem um pouco. Nascida em 4 de dezembro de 1964, Marisa Tomei completa agora 50 anos. Talvez ela não tenha cumprido integralmente a promessa de seu Oscar, em 1992, mas faz meio século de existência com um currículo bem interessante. Apareceu em séries como A Different World e Seinfeld, filmes de diretores autorais como Sidney Lumet e Darren Aronofsky. Foi indicada a vários prêmios (Bafta, Globo de Ouro, Oscar de novo).

E ela tem ousado. Em Antes Que o Diabo Saiba Que Você Está Morto, de Lumet, protagonizou cenas bem fortes de sexo com Philip Seymour Hoffman. Chegou a aparecer nua. Em O Lutador, de Aronofsky, fez uma stripper e também teve cenas marcantes com Mickey Rourke, mas como o filme marcou a ressurreição do ator a mídia ficou mais ligada na atuação dele. Em Amor à Toda Prova, voltou a exibir seu timing de comediante ao lado de Steve Carrell e Ryan Gosling. Talvez por ser latina, e ter dupla nacionalidade - italiana e norte-americana -, Marisa virou ativista contra o presidente George W. Bush. Dizendo que transformara os EUA num país assustador, chegou a cogitar de abandonar a 'América'.

Marisa fez teatro - o revival de Um Clarão nas Trevas, que foi filmado com Audrey Hepburn, e Salomé. E em 2009, aos 45 anos, ficou bem colocada - em 18.º lugar - na lista das mulheres mais sexys do mundo da revista FHM. O papel no filme de Lumet, dois anos antes, com certeza contribuiu para isso. Marisa tem um irmão ator, Adam Tomei. Três anos mais jovem que ela, apareceu nos filmes O Show de Truman - O Show da Vida, Independence Day e O Voo.

Mais conteúdo sobre:
Marisa TomeiCinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.