Eric Gaillard/ Reuters
Eric Gaillard/ Reuters

66º Festival de Cannes começa nesta quarta-feira

'O Grande Gatsby', do diretor Baz Luhrmann, abre o evento cinematográfico

Luiz Carlos Merten - O Estado de S.Paulo,

15 de maio de 2013 | 07h00

CANNES - E a Côte d`Azur inteira já se vestiu de gala para o 66º Festival de Cannes, que começa nesta quarta-feira, 15, com a apresentação de O Grande Gatsby, de Baz Luhrmann. O aeroporto de Nice, que é a porta de entrada para a Croisette, está todo engalanado e ontem uma área foi isolada para a chegada dos jurados da competição, que se deslocam de limusine ou de helicóptero para Cannes. O presidente Steven Spielberg já estava na França - chegou antes. É capa de vários jornais e revistas e dá uma longa entrevista na revista de bordo da Air France, a Magazine.

Spielberg lembra sua primeira vez em Cannes. Depois do sucesso do telefilme Encurralado, que teve lançamento em salas de cinema de todo o mundo, seu primeiro filme - filme mesmo - participou da competição de 1974. Sugarland Express não deixou de antecipar - por um ano - o Dia de Cão, de Sidney Lumet. Goldie Hawn faz a mãe desesperada que convence o marido a fugir da prisão para que ambos sequestrem o filho do qual ela está afastada. A polícia e a mídia vão atrás e o filme ganhou o título de Louca Escapada no Brasil. Goldie Hawn e William Atherton formam o casal. O lendário Ben Johnson, de tantos westerns, é o policial. O júri, naquele ano presidido por Rene Clair, deu a Louca Escapada seu prêmio de roteiro.

Spielberg já disse que o cineasta que gostaria de ser é Michael Curtiz. Para a maioria da crítica, um artesão - premiado com o Oscar por Casablanca, de 1942. Para Steven, um diretor capaz de imprimir sua marca e assinar grandes filmes de praticamente todos os gêneros, como ele próprio gosta de fazer. Mas Spielberg não faz segredo do filme fundador, que forjou seu desejo de virar cineasta - foi Jules e Jim, Uma Mulher para Dois, de François Truffaut. Sua maneira de homenagear o francês foi lhe conferindo um papel em Contatos Imediatos do Terceiro Grau, quando ele já era - depois de Tubarão - o Midas de Hollywood.

Há um revival de Scott Fitzgerald na França, em todo o mundo, mas a verdadeira questão é - alguma vez ele saiu de cena? Estão saindo dois novos livros sobre o autor na França - Le Desinchante, O Desencantado, de Liliane Kirjan, e Z, sobre a mítica Zelda, a mulher que aguçou os impulsos destrutivos do marido escritor. A critica não tem poupado elogios aos dois. E pensar que Luchino Visconti sonhava biografar o casal, num filme que seria interpretado por Warren Beatty e Julie Christie. Teria sido depois de Ludwig, a Paixão de um Rei, mas ele sofreu a trombose e o projeto foi arquivado. Scott também está no estilo casual chic, ou esportivo chic dos anos 1920, associado ao Grande Gatsby, que dá a tônica das novas coleções de Hugo Boss, Ermenegildo Zegna, Hermès. Aquelas roupas claras - de tons crus -, as malhas displicentemente jogadas sobre os ombros, as calças de linho, os sapatos bicolores. O figurino de Leonardo DiCaprio no filme do australiano Luhrmann está nas vitrines de todas as grifes.

Ao longo da Croisette, outdoors anunciam os novos blockbusters e o maior cartaz é o de The Lone Ranger, de Gore Verbinski , com Johnny Depp. Na Rue d`Antibes, Cannes Fait son Mur ostenta fotos das mais belas mulheres que passaram recentemente por este festival - Monica Bellucci, Monica Bellucci, Monica Bellucci. E Penelope Cruz.

Na frente do Palais, duas gigantescas reproduções do poster do 66.º festival - o beijo de Paul Newman e Joanne Woodward, clicado durante a filmagem de Amor Daquela Espécie, de Melville Shavelson, de 1963. Na baía de Cannes já estão ancorados diversos navios de cruzeiros e, ao longo da avenida costeira - a Croisette - já se encontram anônimos fantasiados dos filmes de terror que você vai ver no ano que vem. O tempo está estável, com sol, mas faz frio. Em Paris, a temperatura era de 9 graus, bem pouco para a primavera. Em Cannes, mais ao sul, 14 graus, mas a previsão é de muito calor, e pouca roupa, nos próximos dias. A expectativa é de que o festival venha a esquentar também em termos de qualidade, com tantos autores de prestigio (Arnaud Desplechin, Roman Polanski, Jia Zhang-ke etc) na competição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.