3.º Brasil Documenta começa hoje

Pela terceira vez consecutiva, a parceria do canal GNT com a Brasil Telecom resulta num dos eventos mais importantes sobre documentários que se realizam no País. Existe o Festival Internacional de Documentários É Tudo Verdade, que Amir Labaki realiza em São Paulo, trazendo ao País filmes e convidados importantes. Mas o Brasil Documenta, que ocorre no Rio, possui uma característica especial. Promovido por um canal de televisão, ele garante também um canal de exibição - e isso continua sendo vital, mesmo num momento como este, quando tantos documentários fazem sucesso de público e crítica em telas brasileiras.A terceira edição começa hoje, no Rio. Será uma abertura formal, seguida de coquetel. A agenda do fórum começa para valer amanhã de manhã e vai até sexta-feira, em dois espaços - o Instituto Moreira Salles, na Gávea, e a Pontifícia Universidade Católica. Como nas duas edições anteriores, o público poderá ver filmes e participar de debates, mas essas atividades paralelas já tradicionais do Brasil Documenta ganham agora algumas novidades em relação aos anos anteriores. Haverá três master classes - o alemão Thomas Kufus fala amanhã sobre conteúdo e formatação de projetos, como escrever um documentário; na quarta, o americano Jeff Tuchman trata de um assunto atualíssimo, as novas tecnologias a serviço da criatividade; e, na quinta, dois palestrantes da França, Xavier Carnieux e Catherine Le Clef, discutem financiamento e distribuição internacional de documentários. Todas serão realizadas pela manhã, na PUC.Outras novidades do Brasil Documenta deste ano - Perdidos na Mídia será um espaço para mostrar (e debater) trabalhos produzidos e não exibidos, e o Pitching Cases trará exemplos bem sucedidos de projetos que iniciaram sua carreira em sessões de pitching (vendas). Três painéis, também na PUC, só que à tarde, vão colocar em discussão temas como o olhar feminino no documentário (amanhã), o documentário como informação e entretenimento (quarta) e o documentário como retorno financeiro (quinta). E haverá, ainda, o Balcão de Projetos, no qual os autores de dez projetos pré-selecionados vão receber consultorias de profissionais do Brasil e do exterior. O Brasil Documenta invade também a programação do canal GNT, que exibe diariamente flashes do evento e põe no ar documentários que ajudou a viabilizar. Ontem à noite passou Recife/Sevilha - João Cabral de Melo Neto, de Bebeto Abrantes, uma produção licenciada. De hoje a quarta, às 23h30, serão apresentados Me Erra, de Paola Barreto, Vício da Liberdade, de Flávia Lins e Silva e Eduardo Vaisman, e Vaidade, de Fabiano Maciel, os três co-produzidos pelo canal. No domingo, dia 23, o GNT mostra o especial sobre o 3.º Brasil Documenta, que Maciel, o diretor de Vaidade, sobre vendedoras de Avon na selva amazônica, vai dirigir.Confira a programação no site da GNT.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.