"2 Filhos de Francisco" bate recorde em DVD

E o sucesso continua. Desde quarta-feira, o DVD de 2 Filhos de Francisco está nas locadoras e lojas especializadas de todo o País. O filme que fez mais de 5 milhões de espectadores no País vendeu, antecipadamente, 467 mil unidades de DVD, marca que já entrou para a história. O filme agora pode dar um passo decisivo rumo à consagração internacional (e ao Oscar) - de Los Angeles, o próprio diretor Breno Silveira anuncia que há muita expectativa quanto a uma possível indicação do filme para o Globo de Ouro, prêmio dos correspondentes estrangeiros de Hollywood, cujos finalistas serão anunciados dia 13. Em abril, o diretor da Sony Home Entertainment Brasil, Wilson Cabral, fez o que parecia uma aposta arriscada - garantiu que o maior sucesso do ano seria o filme de Zezé di Camargo e Luciano. Naquele momento, ninguém ainda falava em Francisco como um filme de Breno Silveira. Para todos os efeitos, era da dupla. A aposta de Cabral se confirmou, 2 Filhos de Francisco virou a maior bilheteria do cinema nacional desde a retomada no começo dos anos 1990. E permanece como o grande êxito do ano, mesmo com a pressão de Harry Potter e o Cálice de Fogo, que já atingiu quase 2,5 milhões em duas semanas. Em entrevista por telefone, na quarta-feira, ao deixar o Projac, da Globo, no Rio - onde gravou com o irmão a participação de ambos no especial de fim de ano da emissora, comandado por Ivete Sangallo -, Luciano disse que Francisco teria vendido muito mais DVDs, não fosse a pirataria. O assunto está na mídia desde que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva admitiu haver assistido ao filme num DVD pirata. Luciano decepcionou-se com o presidente cuja campanha apoiou. Ele bate duro na pirataria. É questão ideológica, mais que necessidade de aumentar o faturamento. "Digo sempre ao público que, se não tiver dinheiro para comprar o CD, faça uma cópia do CD do amigo, mas não compre o disco pirata na esquina", afirma Luciano."Iniciamos uma investigação policial sigilosa, mas a reação do Luciano não ajudou." Existem mais divergências. Se depender de Luciano, o governo não entra com nenhum tostão na campanha para promover a candidatura de 2 Filhos de Francisco ao Oscar de melhor filme estrangeiro, cujos finalistas serão anunciados no fim de janeiro. "Tenho brigado e posso até ser voto vencido, mas acho que um filme que faturou mais de R$ 45 milhões não precisa de verba oficial para se promover, mesmo que tenha direito a isso", diz Luciano. Na quarta-feira à noite, realizou-se no Pacific Design Center, de Los Angeles, a primeira sessão oficial de Francisco para os votantes da academia. Walter Salles era esperado, Caetano Veloso enviou e-mails pessoais aos amigos de Hollywood. "Estamos todos empenhados numa campanha do coração", diz o diretor. Dia 5 de janeiro, o Itamaraty, que já apoiou a sessão de ontem, promove outra grande exibição. Para Silveira, isso não configura apoio do governo. "O governo passa e o Itamaraty, que é amigo do cinema brasileiro, fica."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.