Alex Ribeiro/Estadão
Alex Ribeiro/Estadão

1000 filmes do Merten: Semana de clássicos nacionais

O Belas Artes Drive-in, no Memorial da América Latina, programou uma semana de resgate de clássicos do cinema brasileiro associados à figura patriarcal do produtor Luiz Carlos Barreto, o Barretão

Luiz Carlos Merten, O Estado de S. Paulo

01 de setembro de 2020 | 03h00

Com a reabertura das salas indefinida – possivelmente no fim do mês –, o streaming continua sendo a alternativa mais segura dos cinéfilos. Não faltam novas atrações. O Belas Artes Drive-in, no Memorial da América Latina, programou uma semana de resgate de clássicos do cinema brasileiro associados à figura patriarcal do produtor Luiz Carlos Barreto, o Barretão. A Imovision prossegue a venda de DVDs e Blu-Rays em sua loja virtual.

Barretão

O longa documentário de Marcelo Santiago resgata uma entrevista que Geneton Moraes Neto fez com Luiz Carlos Barreto em 2015. Barretão por ele mesmo, mas o conceito é quebrado de cara com diversos depoimentos de apresentação do lendário fotógrafo e produtor. Passado esse prólogo, Barretão toma a palavra e disserta sobre grandes diretores do Cinema Novo (Glauber, Joaquim Pedro e Leon Hirszman) e principalmente sobre os presidentes que conheceu ao longo do tempo. De Getúlio a Lula, passando pelos presidentes do ciclo militar. Uma aula de brasilidade, mas o filme não seria sobre ele se não tivesse futebol, o Mengão, do qual é torcedor fanático. Drive-in Belas Artes, nesta terça, 1.º, às 21h.

Dona Flor e Seus Dois Maridos

Barretão produziu e seu filho Bruno Barreto dirigiu a adaptação do romance de Jorge Amado. Sonia Braga como Florípedes e José Wilker (Vadinho) e Mauro Mendonça (Teodoro) como os dois maridos. E na trilha O Que Será Que Será? Por décadas o filme de 1976 permaneceu como a maior bilheteria do cinema brasileiro. Drive-in Belas Artes, quinta, 3, 18h.

Assunto de Família

Em dois anos seguidos, 1918 e 19, Cannes outorgou a Palma de Ouro ao cinema asiático. Primeiro, o Hirokazu Kore-eda, depois o sul-coreano Bong Joon-ho, de Parasita, que teve aquele triunfo no Oscar deste ano. Kore-eda já vinha há tempos investigando a família japonesa contemporânea. Pai e filho vivem do produto de seus roubos. Acolhem menina que encontram na rua (e sofria abusos em casa). A família de adoção termina por revelar seus segredos. DVD e Blu-Ray na loja virtual da Imovision.

Koko – A Talking Gorilla

Na ficção e no documentário, o franco-iraniano Barbet Schroder construiu uma obra importante, abordando temas polêmicos – drogas, sexo, um provocativo retrato do ditador Idi Amin Dada. Aqui, ele mostra gorila treinado para se comunicar usando a linguagem dos sinais. A grande questão – já que Koko manifesta emoções humanas terá os mesmos direitos? Complexo e fascinante. Mubi.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.