1000 filmes do Merten: Clássicos e novidades

Os cinemas estão próximos da flexibilização, mas o streaming segue com suas atrações

Luiz Carlos Merten, O Estado de S. Paulo

06 de outubro de 2020 | 03h00

Algumas praças já abriram os cinemas, mas São Paulo segue aguardando a fase verde da flexibilização. A Prefeitura antecipou-se e já publicou as regras sanitárias – uso de máscaras, espaçamento entre poltronas, 60% do público, etc. Enquanto isso, o streaming segue com suas atrações, que incluem clássicos e novidades.

Andrei Roublev

A obra-prima de Andrei Tarkovski é um dos muitos filmes russos – 17, no total – disponíveis na plataforma do Belas Artes. A história do pintor de ícones medieval tem seu ponto mais alto no extraordinário episódio da construção do sino. No Belas Artes a La Carte.

O Criado

A primeira parceria de Joseph Losey com o dramaturgo Harold Pinter adquiriu estatura de clássico. Dirk Bogarde faz o criado que começa a dominar a vida do patrão, James Fox. Losey, que fez teatro com Bertolt Brecht, traz o distanciamento para o cinema em sua abordagem da luta de classes e da degradação moral. No Belas Artes a La Carte.

A Mulher do Aviador

Eric Rohmer foi um dos grandes da nouvelle vague, tendo desenvolvido séries como Os Contos Morais e Comédias e Provérbios. Esse longa de 1980 pertence à segunda. Como sempre, o amor ocupa o centro das preocupações. Philippe Marlaud surpreende um homem saindo do apartamento da amada. Desconfia dela. Na rua, reencontra o sujeito com outra mulher, e passa a seguir os dois. Encontra uma garota. Desses encontros e desencontros, surge uma bela reflexão sobre o afeto, com aquele artificialismo de construção que foi a marca do grande crítico que virou cineasta. Na MuBI.

The Boys

Sete super-heróis cujas carreiras são administradas por uma empresa só pensam no próprio sucesso. Não ligam para tradicionais questões de ordem, liberdade e justiça. Não gostam nem defendem minorias. Nazistas de carteirinha, enfrentam outro grupo – de mercenários– interessados em destruir os mitos. A crítica toda vê nos Boys o espelho do mundo atual, ou dos EUA sob Donald Trump. Na Amazon.

Zama

Uma das grandes autoras do cinema latino-americano, Lucrecia Martel desconcertou a maioria da crítica com esse filme raro, que demorou vários anos para realizar. Um funcionário da Coroa espanhola numa colônia do Novo Mundo. Seu sonho é ir a Buenos Aires, mas o jogo de interesses do colonialismo o leva por outros caminhos. Na MuBI

É JORNALISTA E CRÍTICO DO ‘ESTADÃO’, AUTOR DE ‘CINEMA. ENTRE A REALIDADE E O ARTIFÍCIO’

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.