Divulgação
Divulgação

Michael Ironside acumula série de aparições em longas como 'Top Gun'

Ator também é conhecido por atuar em filmes de terror

Ian Spelling, THE NEW YORK TIMES

28 de março de 2016 | 20h43

Michael Ironside já morreu inúmeras vezes na tela. Ele matou um bom número de pessoas e criaturas nas suas décadas de aparições no cinema e na TV, que incluem 250 filmes, desde Scanners, de 1981, Top Gun, de 1987, O Vingador do Futuro, de 1990, até Tropas Estelares, de 1997, e X-Men: Primeira Classe, de 2011. Apesar dos danos provocados pelo tempo, das extravagâncias na vida de um intérprete e uma série de crises de saúde, o ator canadense de 64 anos, ícone dos filmes de terror e ficção científica, continua tão prolífico como nunca. Na verdade, ele está com nove filmes concluídos que serão lançados nos próximos meses.

“Na verdade, estou num ponto em que sou menos vaidoso, no sentido de saber como as pessoas me veem”, disse ele. “Nos últimos 7 anos, tive câncer, de próstata, de intestino e tireoide, e meu corpo tem reações que não consigo ainda controlar. Uma delas é envelhecer, a outra é que engordei muito. Diante disso, acaba um pouco aquela vaidade que os atores carregam e que os impede de fazer coisas que instintivamente poderiam fazer em se tratando de um personagem, mas recuam porque têm medo de como aquilo será visto ou como vai se revelar. Não sinto mais isso e é uma libertação.”

O mais recente projeto de Michael Ironside é Extraterrestrial, filme de ficção científica que já pode ser visto em vídeo sob demanda e será lançado nos cinemas em 21 de novembro. Nele, amigos de faculdade em férias numa cabana na floresta presenciam a queda de um OVNI. April (Brittany Allen), seu namorado Kyle (Freddie Stroma) e os outros encontram logo depois os ocupantes da nave, criaturas que não estão em missão de paz.

Colin Minihan e Stuart Ortiz, dois produtores que sempre trabalham juntos e se qualificam como Vicious Brothers, convidaram Ironside para interpretar o personagem chamado Travis. Um veterano da guerra do Vietnã que fuma maconha e é especialista em teorias de conspiração, velho amigo da família de April.

Numa entrevista por telefone do seu hotel em Manhattan, Michael Ironside diz que foi o roteiro do filme, escrito e produzido por Minihan e Ortiz, e dirigido por Colin Minihan, que o induziu a aceitar o papel. “No mínimo, recebo quatro ou cinco roteiros por semana. Nem todos são bons ou não narram a história muito bem. Quando li o script de Extraterrestrial, pensei, ‘é minha imaginação ou ele é realmente bom?’”, conta. “Reli a história mais de uma vez e confirmei que o personagem que eles queriam que eu interpretasse tinha uma boa base emocional e uma história. E várias ideias vieram à minha cabeça sobre o que eu poderia fazer para tornar o personagem real, e vi que ele era o alicerce do tipo de relação entre pai e filho que os outros personagens do filme têm. Travis tem inúmeras responsabilidades dentro da narrativa do filme e isso me fascinou.”

Michael Ironside elogiou os Vicious Brothers e particularmente Brittany Allen, cujo desempenho é vigoroso e convincente. Mas ele falou de outros projetos futuros, citando o filme de ação pós-apocalíptico Turbo Kid como uma das suas grandes expectativas.

Ironside se cala por alguns segundos e então desvia a conversa para falar da sua infância em Toronto, onde cresceu numa pequena casa, de uma família com cinco filhos. “A casa estava lotada de personalidades muito fortes”, lembra ele. “Não preciso atuar ou trabalhar, mas esse é o meu jeito de respirar fundo, porque a realidade pode ser dolorosamente claustrofóbica às vezes.” / TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO

Tudo o que sabemos sobre:
FuturoOVNIVietnãOrtizToronto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.