Reprodução
Reprodução

Vazam imagens do novo Godzilla, que estreia em julho no Japão

Fotos mostram um design mais sangrento do monstro

EFE, O Estado de S.Paulo

05 Janeiro 2016 | 15h37

TÓQUIO - Várias imagens que mostram o aspecto do próximo Godzilla no novo filme japonês que estreará este ano sobre o famoso monstro radioativo apareceram em diversas redes sociais.

O americano August Ragone, um dos maiores especialistas ocidentais sobre o personagem, confirmou em seu blog que se tratam de fotografias autênticas realizadas por Toho, a produtora japonesa do filme.

As imagens mostram um design mais sangrento de Godzilla do que os vistos em seus últimos filmes japoneses.

Ragone assegurou em seu blog que o novo aspecto do monstro foi produto da parceria entre Mahiro Maeda (Mad Max: Estrada da Fúria) e Takayuki Takeya (Ataque aos Titãs) e que ele aparecerá na tela através de marionetes e animatronics e também por uma roupa que será operada por três pessoas - em vez de uma, como era costume no cinema japonês - e que será retocado com efeitos digitais.

Ragone é um colaborador próximo de Toho e autor do livro Eiji Tsuburaya: Master of Monsters (Eiji Tsuburaya: Mestre dos Monstros), que gira em torno de Tsuburaya, o mestre dos efeitos especiais mais importante do gênero "tokusatsu" (filmes japonesas de ficção científica em que se empregavam maciçamente maquetes e atores fantasiados).

O novo filme da série estreará no Japão em 29 de julho com o título Shin Gojira (Novo Godzilla) e posteriormente no exterior com o nome Godzilla Resurgence.

O filme é dirigido por Hideaki Anno, criador de Neon Genesis Evangelion, uma das sagas mais influentes da história da animação japonesa, e Shinji Higuchi, diretor dos longas-metragens de ação real de Ataque de Titãs.

Este é o primeiro filme japonês sobre a criatura - que Toho levou pela primeira vez à tela grande em 1954 - desde Godzilla: A guerra Final, que estreou em 2004 no 50º aniversário do monstro. 

Mais conteúdo sobre:
Cinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.