Zeffirelli abre o ano revelando intimidades

Em entrevista à primeira edição do semanário Libero em 2009, o diretor de ópera e cinema Franco Zeffirelli relata sua primeira experiência homossexual. Foi durante a 2ª Guerra e o futuro diretor de filmes como A Megera Domada e Romeu e Julieta integrava o movimento clandestino da Resistência. Embora já soubesse ser gay desde os 14 anos, Zeffirelli esperou quase uma década para ter a primeira relação com um camponês, com quem dividia um cobertor, numa noite na floresta, à espera de um ataque aos nazistas. Na entrevista, ele confirma que teve um affair com Luchino Visconti e reafirma seu ódio à palavra gay, que considera ofensiva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.