Volume reúne grande parte da poesia de Tablada

O mexicano José Juan Tablada (1871-1945) foi poeta, cronista, teatrólogo, tradutor, memorialista, crítico literário e de arte. Sua obra é variada, transitando entre o modernismo, o pós-modernismo e as vanguardas. Sua criação é tão peculiar que se pode dizer dela o que se disse de Julio Cortázar - é como se houvesse um território Tablada, de deuses, povos, tempos, estações, formas. Octavio Paz dizia que no México a tradição da obra aberta teria começado com Tablada. Esta é uma edição bilíngue, organizada e traduzida por Ronald Polito, e que inclui a maior parte da produção poética de Tablada. Alguns poemas são apresentados em fac-símile. No fim, aparece uma lista detalhada de suas obras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.