Volta à obra de um poeta à frente de seu tempo

Para Haroldo de Campos, a obra de Sousândrade, poeta brasileiro nascido em 1832, "escapava ao limiar de frequências da sensibilidade de seus contemporâneos". "Sismo de vibração acima da curva acústica da época, ficou à margem", escreveu. A mesma percepção encontra-se em análises de autores como Alfredo Bosi, Luiz Costa Lima ou Adriano Espínola, que assina a seleção de textos deste volume. Segundo ele, professor de Literatura Brasileira da Universidade Federal do Ceará, a escolha se pautou, além do "gosto pessoal do antologista", pela "presença de maior fatura literária dos textos, quer sob o aspecto inventivo, pré-vanguardista, quer sob o aspecto canônico, romântico".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.