Vivien Leigh, sublime como Blanche no clássico de Kazan

Em 1951, Marlon Brando já havia feito Espíritos Indômitos, de Fred Zinnemann, que era um diretor de prestígio em Hollywood, mas foi com Uma Rua Chamada Pecado que ele virou mito. O Cinemax reprisa às 23h30 o clássico que Elia Kazan adaptou da peça A Streetcar Named Desire, de Tennessee Williams. No Brasil, a peça é conhecida pela tradução literal, Um Bonde Chamado Desejo.Brando faz o bruto Kowalski e, na época, causou sensação sua T-shirt branca. Na pasmaceira do cinema norte-americano da época, foi um choque ver aquele homem todo músculos - mas Brando não tinha só sex-appeal. Era um grande ator. Mas por melhor que ele seja, e é, a personagem-chave de Uma Rua Chamada Pecada é Blanche Dubois, interpretada por Vivien Leigh.A eterna Scarlett O''Hara de ...E o Vento Levou, premiada com o Oscar de melhor atriz de 1939, recebeu seu segundo prêmio da academia pela extraordinária criação como Blanche, a mais emblemática das heroínas de Tennessee Williams. Blanche representa o que restou da aristocracia sulista. É frágil, refugia-se num mundo de fantasia e entra em choque com o cunhado (Kowalski) ao ir morar de favor na casa da irmã. O filme é maravilhoso, e não só pelo par central.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.