Vivien Leigh como heroína de Leon Tolstoi

Garbo protagonizou duas vezes o mistério de Ana Karenina nas versões que Edmund Goulding e Clarence Brown fizeram do romance de Leon Tolstoi, em 1927 e 35. Garbo não é menos do que perfeita em ambas, mas seu amante, Vronski, convence mais como Fredric March na versão de Brown do que John Gilbert na de Goulding. Em 1948, o francês Julien Duvivier foi a Londres especialmente para fazer de Vivien Leigh a ?sua? Ana Karenina. O filme escrito pelo dramaturgo Jean Anouilh coloca Ralph Richardson no papel do amante. Vivien é excepcional, como sempre, e a cena do trem, com o rosto da heroína sobressaindo da fumaça, tem força. Mas o melodrama é túrgido. Duvivier é melhor descrevendo universos sórdidos. Confirme às 16h10, no Telecine Cult.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.