Viúva de Borges delata tráfico de manuscritos

María Kodama, viúva do escritor argentino Jorge Luis Borges (1899-1986), denunciou no México que existe um tráfico ilegal de seus manuscritos e, por isso, já há uma investigação internacional. Além disso, suspeita-se que essas obras também sejam falsificadas. A viúva do autor de O Aleph e Ficções participou como convidada especial do lançamento do livro In Memoriam Jorge Luis Borges, obra compilada por Rafael Olea Franco e apresentada na quinta-feira na capital mexicana. "Trata-se de saber quem os vende, de onde saíram e quais os caminhos percorridos por esses manuscritos", disse ela para cerca de 200 pessoas presentes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.