Visão humana para um mundo desumano

Jean-Paul Sartre dizia que "Cartier Bresson fotografou a eternidade". Ao se lembrar as imagens marcantes do século 20, de imediato se pode evocar o responsável pelo olhar original sobre esse período turbulento, durante o qual a violência imperou. Era um olhar humanista sobre um período desumano. Henri Cartier-Bresson (1908-2004) ensinou o mundo a ver de outra maneira. HCB, como era conhecido no seu meio, contribuiu, ao lado de Robert Capa, para elevar a posição do fotógrafo, que a partir de então seria considerado um autor com marca própria. Um dos fundadores da agência Magnum, HCB ajudou os fotógrafos a se tornarem donos do próprio nariz, ao serem donos dos próprios negativos.Cartier-Bresson, O Olhar do SéculoPierre AssoulineTradução de Julia da Rosa SimõesL&PM, 334 págs., R$ 56

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.