Violência na tela Autor da série justifica cena de chacina

Quem assistiu ao primeiro episódio de A Lei e o Crime, série da Record que vai ao ar às segundas-feiras, às 23 horas, deve ter se surpreendido com a violência da cena em que a família de Nando (Angelo Paes Leme) é assassinada. Na chacina, comandada por Romero (Caio Junqueira), morrem cinco pessoas, entre elas, duas crianças.Procurado pelo Estado, o autor da trama, Marcílio Moraes, compara a ação com as tragédias gregas. "A chacina surgiu naturalmente na sequência das ações de um personagem obcecado pela vingança, ao modo de uma tragédia grega ou elisabetana - lembre-se de Ricardo III, de Shakespeare", diz. O enredo da série é levado pelo sentimento de vingança de três personagens: Romero, que teve o pai morto por Nando; Nando, que teve a família assassinada por Romero; e Catarina (Francisca Queiróz), que vê o pai sendo morto por Nando. "Chacinas estão todos os dias nos jornais", fala Moraes. O autor afirma que não pode dizer se a cena era realmente necessária, mas lhe pareceu coerente na lógica do personagem e da realidade em que vivemos. "Do ponto de vista dramatúrgico, foi catártico."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.